Maldito Dinheiro!

Hoje quero fazer uma abordagem um pouco peculiar sobre o dinheiro.

 

É importante por isso que leias este artigo até ao fim para interpretares corretamente a sua conotação.

 

Muitas vezes sonhamos com o momento em que temos dinheiro que chegue,

Dinheiro que chegue para “despedir o patrão”,

Dinheiro que chegue para mudar de vida,

Dinheiro para comprar uma casa noutro país ou viajar.



 

Mas quanto mais dinheiro temos, mais preocupações temos!? (será?)

Quanto mais dinheiro temos, mais compromissos assumimos,

Quanto mais dinheiro temos, mais pensamos em protegê-lo

Quanto mais dinheiro temos, mais medo temos.

 

 

A maioria das pessoas que aumenta os seus rendimentos gasta mais dinheiro. É normal! Sonharam fazê-lo toda a vida!

 

Mas quando mudamos de casa, quando começamos a ter hábitos mais caros…perdemos alguma tranquilidade.

 

Porque antes não tínhamos grande coisa a perder.

 

Mas depois de provarmos o luxo, torna-se muito mais difícil voltar à vida antiga.


A maioria das pessoas de sucesso vive com a “barriga aos saltos” de medo!


Medo de não conseguirem manter o nível de vida a que chegaram.

Medo de não conseguirem proteger as suas economias, do fisco, dos bancos, etc…

O exemplo mais flagrante é aquele das pessoas que ganham o euromilhões ou a lotaria. A maioria tornam-se depressivos e muitos suicidam-se!

 

Porquê?

 

 

Porque a maioria são pessoas simples como tu e eu. Que aprenderam durante toda a vida a contentar-se com pouco!

E a fortuna chegou de rompante. Sem que tivessem tempo de se preparar ou de a ver chegar.

E de repente querem ter tudo aquilo de que se viram privados durante toda a vida. Vivem no luxo e é claro que se habituam a ele.

O problema chega quando se apercebem as contas bancárias se esvaziam mais rapidamente que previsto…e que um dia serão obrigados a retornar à casa de partida.

 

 

É bem mais difícil comer kebab quando já se provou ostras com caviar e champanhe! 🙂

 

 

 

É mais difícil alugar um apartamento “manhoso”, quando já se viveu num hotel de 5 estrelas! 🙂

 

  

 

 

 

É por isto que vivem com “a barriga aos saltos” de medo. Medo da perda. Medo que tudo acabe.

 

E muitos empreendedores de sucesso vivem com este medo, o medo do pessoal que ganha a lotaria.

 

Queriam muito ganhar muito para serem livres…mas alguns acabam por ser ainda menos livres que antes.

 

No entanto poderiam viver de outra forma…

 

 

Poderiam investir o dinheiro e manter o nível de vida. Poderiam gerar retorno mais rápido do que o gastam.

 

O problema é que é mais difícil dizer que fazer. Quando estivemos privados de quase tudo aquilo com que sempre sonhamos durante 20, 30 ou 40 anos…e que de repente somos capazes de comprar tudo, ou quase tudo…é verdadeiramente difícil de não cometer os mesmos erros do que aqueles que ganham a lotaria.

 

Lembro-me bem de ter passado por algo semelhante quando ganhei os meus primeiros 10 mil dólares online…fiquei tão contente que em vez de os re-investir no meu negócio gastei-os todos em menos de 1 semana hehe 🙂

 
Só é possível sair deste registo mudando a forma como se vê o dinheiro!

 
Para mim tudo mudou quando comecei a olhar para o dinheiro, não como uma ferramenta para comprar coisas fixes…mas sim como uma ferramenta para comprar liberdade.

 

 

Passo a explicar:

 

Tal como todos os empreendedores que conheço, que começaram a ganhar 5, 10 ou 20 vezes acima da média sem ter havido grande transição…também me passei! É normal.

 

Comecei a almoçar e jantar fora todos os dias

Comecei a ficar em hotéis de 5 estrelas quando saia para fora

Comecei a comprar computadores novos para toda a família

Comecei a comprar smartphones topo gama

Comecei a frequentar os melhores restaurantes

 

E um dia entrei em pânico!

 

Comecei a aperceber-me que andava literalmente a “torrar” o dinheiro.

 

Foi aí que me sentei ao computador e comecei a pesquisar sobre este tema, e foi aí que encontrei o termo: “Lifestyle inflation”.  A inflação do modo de vida. Parece que é normal: quanto mais se ganha, mais se gasta. É um facto económico que se constata em todo o lado. Tanto com assalariados, como com empreendedores. Segundo as pesquisas que encontrei, não existe quase exceção nenhuma.

 

Então quanto mais se ganha, mais perigo corremos (na nossa cabeça). Pois habituamo-nos a viver melhor, habituamo-nos às extravagâncias, habituamo-nos a poder fazer quase tudo.

 

E assim sendo, o retrocesso, mesmo que seja apenas temporário, seria bem mais doloroso.

 

Então continuei a procurar e encontrei algo fantástico! Encontrei pessoas que pensam que o papel do dinheiro não é de comprar “coisas fixes”, mas sim de comprar liberdade!

 

 

E quando pensamos nisso faz todo o sentido: 100 euros a renderem 5% a prazo, rendem 5€ por anos…para toda a vida…

 

Então podemos dizer que uma nota de 100 euros é uma máquina de fabricar 5 euros por ano, para sempre. E que uma conta a prazo com 10.000 euros, é uma máquina de fabricar 500 euros por ano.

 

Finalmente, bastam 400.000 euros numa conta a prazo para gerar 1.600 euros por mês…para sempre. Isto é ser financeiramente independente certo?

 

Não rico! Mas completamente autónomo.

 

Então bastam 400.000 euros numa conta a prazo para se trabalhar unicamente por escolha, e não por obrigação. Deixamos de precisar de trabalhar para comer e habitarmos.

 

Claro que isto é um cálculo grosseiro. Tudo depende sempre de como e onde colocamos o dinheiro, da inflação e de outros parâmetros.

 

Mas normalmente estes 5% não falham muito.
Quando começamos a olhar para uma nota de 100 euros como uma máquina de fabricar 5 euros, começamos a olhar para o dinheiro de forma diferente.

 

Ao invés de servir para comprar “coisas fixes”, o dinheiro transforma-se numa ferramenta que compra anos de liberdade…

 

Isto mudou tudo para mim…

 

Peguei no meu caderno e comecei a fazer contas, comecei a calcular quanto precisava para comprar um mês de liberdade…um ano de liberdade…

 

E defini um objetivo, que foi certamente o melhor da minha carreira de Internet Marketer: Limitar as minhas despesas e conseguir “comprar” rapidamente 1 ano de liberdade, e para mim um ano de liberdade são 1600 euros X 12 meses…representam 19200 euros…nada de especial certo?

 

Mas representam um ano de autonomia…e com um ano de retorno adiantado, não se pensa da mesma forma. Deixamos de pensar a curto prazo, deixamos de pensar que este mês precisamos de não sei quantos euros. Começamos a pensar em termos de processo, construir uma máquina que rende sistematicamente X por ano…ou se forem como eu, uma máquina que gera X contactos por mês.

 

Enfim…muda tudo!
A paz de espírito que se ganha depois de se começar a pensar assim, trás tanto prazer como andar literalmente a “torrar” dinheiro 🙂

 

Hoje, mesmo que tenha melhorado o meu estilo de vida, uso sempre em primeiro lugar o dinheiro para comprar tempo de liberdade!
Experimenta!

Investe o teu dinheiro em algo rentável, como um negócio online e depois começa a poupar liberdade.

 

Dizermos que acabámos de “comprar” 3 dias de liberdade é bem mais fixe do que dizermos que poupámos 150 euros! Hehe

 

No entanto é exatamente esse o valor 🙂

 

Se hoje ainda não conseguiste atingir o retorno que gostarias, então este é o melhor momento para começares, porque quanto mais esperares, mais difícil será.

 

Começares agora mesmo depois de leres este artigo, vai motivar-te para começares a comprar os teus dias, meses e anos de liberdade!

 

REGISTA-TE

 

Forte abraço!

Como Superar os Medos Que te Impedem De Criar Um Negócio

A ideia de criar o próprio emprego e construir algo verdadeiramente nosso agrada à generalidade dos portugueses. No entanto, a maioria das pessoas não tem a coragem que é necessária para enfrentar os riscos inerentes à verdadeira aventura que é criar um negócio próprio.

 

 

Numa pesquisa realizada em 2013, mais de 60% dos portugueses confessaram que gostariam de criar o seu próprio emprego. Contudo, apenas 32% se imaginavam a criar realmente o seu negócio.

 

Estes números são substancialmente inferiores à média internacional e demonstram que por cá ainda há uma grande dificuldade em enfrentar alguns receios que surgem muitas vezes associados à ideia de empreendedorismo.

 

Quem não ousar enfrentar estes medos nunca sentirá o prazer de trabalhar por conta própria, de construir um negócio de raiz, no fundo, nunca poderá ser complemente independente financeiramente.

 

 

 

Enfrenta os Teus Medos e Conquista o Sucesso

 

Para ajudar-te a ultrapassar os medos que te estão a impedir de embarcar numa nova epopeia rumo à realização pessoal e profissional, compilei os receios mais comuns e as respostas que precisas de conhecer para finalmente avançar.

 

 

“Só posso avançar quando encontrar o produto perfeito.”

 

 

Esta é uma ideia comum, que defende que o fator mais importante para o sucesso é o produto. De acordo com este raciocínio a competência e a qualidade do trabalho do empreendedor são aspetos secundários.

 

O receio de avançar sem ter o “produto perfeito” origina verdadeiras demandas em busca da “galinha de ovos de ouro”. Sempre que o candidato a empreendedor encontra um possível negócio, faz a sua análise e acaba sistematicamente por encontrar um elemento que mina o projeto, decidindo que aquele ainda não é o produto ideal.

 

Qualquer empreendedor de sucesso te dirá que não é o produto que garante sucesso, mas sim a tua experiência e competência que fazem com que o produto obtenha sucesso.

 

 

 

“Lançar um negócio exige demasiado trabalho e não sei se quero abdicar do conforto de uma vida estável.”

 

 

Sim, é verdade que abraçar a aventura do empreendedorismo é muitas vezes sinónimo de algumas fases mais atribuladas e trabalhosas, principalmente nos primeiros tempos quando ainda se está a lançar as bases do negócio e a aprender.

 

Quem tem uma vida profissional estável pode hesitar em trocar um rendimento certo pelo desconhecido, preferindo continuar na sua rotina laboral, mesmo com um sentimento permanente de insatisfação.

 

Ao arriscar apostar no teu próprio negócio podes passar por algumas dificuldades, isso é inegável, mas também podes prosperar e ganhar muito mais do que ganharias a trabalhar para outros.

 
Apenas tem a ver com o veículo que escolheres!

Além de que o caminho do empreendedorismo conduz a um sentimento de realização e satisfação pessoal que não tem paralelo.

 

 

 

 

“O desconhecido assusta-me e não sei se tenho coragem para avançar.”

 

 

O empreendedorismo é feito de ambiguidades, o que pode ser assustador. Para lançar um negócio por conta própria e alcançar o sucesso é necessário saber viver com as zonas cinzentas que fazem parte de qualquer área empresarial.

 

É certo que ao começar não terás qualquer garantia de resultados. Não é possível prever com exatidão quais serão os teus ganhos, não é possível determinar se determinado produto ou serviço vai ter aceitação no mercado, nem há forma de saber se surgirão imprevistos que possam condicionar toda a operação.

 

A menos que optes por um negócio duplicável e já testado. Como este.

 

Por outro lado, um verdadeiro empreendedor sabe que tem dentro de si o que é necessário para conduzir o seu negócio a bom porto. Motivação e uma vontade de vencer férrea são dois atributos preciosos para qualquer empresário.

 

 

 

Não Adies Mais o Teu Sonho

 

Estas são algumas dicas que podem ajudar-te a ultrapassar o teu medo e a conseguir aquilo que desejas. Trata-se mais uma vez de uma questão de mentalidade. Com a mentalidade certa poderás materializar qualquer sonho.

 

 

 

 

REGISTA-TE AQUI

Pensa Como Um Rico Para Viveres Como Um Rico

Napoleon Hill, um dos mestres do desenvolvimento pessoal, escreveu um dia:

 

Já foi retirado mais ouro da mente do homem do que alguma vez poderá ser retirado do interior da terra.

 

Esta é uma das frases mais pragmáticas que demonstra a capacidade de realização humana.

 

Ao longo das eras, o homem tem procurado em seu redor os meios, as ideias, os mecanismos e até os segredos que possam conduzi-lo à prosperidade e riqueza. Contudo, a resposta para uma maior riqueza e realização pessoal encontra-se não no exterior, mas sim dentro de cada um de nós.

 

O caminho para a prosperidade não deve ser alicerçado apenas na ambição. O foco deve ser sempre a aquisição de conhecimento e o enriquecimento mental. Esta é a principal base para a construção da riqueza.

 

 

 

 

 

Nunca Menosprezes O Poder do Pensamento

 

 

São famosos os exemplos de pessoas que, contra todas as expectativas, conseguiram alcançar a riqueza. Apesar de terem crescido em ambientes pobres e de não terem tido acesso a condições privilegiadas, estas pessoas conseguiram construir impérios.

 

Mas será que que estas pessoas começaram com “nada”?

 

 

Não! Todos os exemplos de sucesso que possamos analisar começaram com algo em comum, o poder do pensamento e um mindset inabalável.

 

Nesta situação podemos definir “pensamento” como a união da imaginação, desejo e força de vontade. A força deste pensamento é essencial na construção de um caminho bem delineado rumo ao sucesso.

 

O pensamento pode conduzir à concretização de objetivos simples, como viagens ou a compra bens materiais, mas também pode levar ao alcance de resultados de outra grandiosidade.

 

 

Esta ideia pode ser facilmente reforçada através de exemplos concretos, tanto do passado como do presente.

 

Pensemos, por exemplo, no extraordinário inventor que foi Thomas A. Edison. De estudante problemático que acabou por fazer quase toda a sua educação em casa sob a tutela da sua mãe, Edison transformou-se num dos mais bem-sucedidos inventores e empresários da história.

 

 

Durante a sua vida, Thomas Edison registrou um total de 2.332 patentes e contribuiu de forma decisiva para o progresso da humanidade através de invenções como a lâmpada elétrica incandescente, o cinescópio, o gramofone, o dictafone.

 

Toda a sua vida foi pautada pela procura de novos conhecimentos e pelo desenvolvimento de novas ideias. Como resultado, além da imensa riqueza que acumulou, Thomas Edison conquistou um lugar na história.

 

Dos nossos tempos, podemos falar de Steve Jobs, um dos fundadores da Apple que conseguiu mudar por completo a realidade de seis indústrias diferentes: computadores, música, telefones, tablets, filmes de animação e conteúdo digital.

 

 

Tal como Thomas A. Edison, também Steve Jobs conquistou um papel especial na história devido à sua capacidade constante de inovar e de procurar oportunidades em novas áreas.

 

 

Ambos não cruzaram os braços após conquistarem a fama e a fortuna. A valorização do pensamento e da necessidade de continuar a inovar são aspetos que marcam a personalidade destes dois grandes nomes.

 

 

 

A Prosperidade Não Depende Apenas da Sorte

 

 

Após estes exemplos, certamente que não acreditarás que a prosperidade depende da sorte.

 

 

Muitas pessoas justificam as dificuldades que atravessam e a incapacidade que demonstram em obter sucesso por “falta de sorte”. Estas pessoas acreditam em coisas como “tudo teria sido diferente se tivesse nascido numa família rica”, ou que “um dia vou ganhar a lotaria e ser imensamente rico”.

 

Esta mentalidade acaba por conduzir à descrença e à infelicidade e por conseguinte, é um obstáculo que deve ser ultrapassado.

 

O sucesso e a prosperidade de cada pessoa residente no seu interior, na sua capacidade de pensar mais além e na sua perseverança.

 

Inspira-te nos exemplos de quem ousou pensar à frente do seu tempo e obtém o sucesso que ambicionas.

 

 

Isto é válido para qualquer área das nossas vidas!

 

Por isso se estás neste blog porque de alguma forma te interessaste em trabalhar a partir de casa, ou adquirir competências numa área de futuro, deves seguir instruções de quem já tem provas dadas nesta indústria.

 

Começa hoje mesmo a desenvolver uma das atividades de maior sucesso e mais rentáveis em todo o mundo com uma equipa TOP que já faturou mais de 7 milhões de dólares em 2 anos!

 

REGISTA-TE AQUI

 

Forte abraço!

As 3 Super Dicas Para O Sucesso

Todos nós queremos ser bem-sucedidos e desfrutar das nossas vidas, mas infelizmente isso não acontece com todos.

 

A maioria das pessoas querem ser vencedores, mas, muitos permanecem no mesmo lugar. E perguntam-se qual é o segredo para o crescimento pessoal? Existe alguma fórmula para se ter sucesso na vida? Qual é a chave para esta realidade?

 

A fórmula mágica para o sucesso não existe. O Sucesso e o crescimento pessoal são uma soma de metas e ações estratégicas para alcançar essas metas.

 

 

O sucesso não é uma possibilidade, é uma escolha.

 

 

Aqui ficam 3 dicas práticas para alcançares o sucesso através do crescimento pessoal:

 

  1. Pensamento positivo. Captura e elimina os pensamentos negativos. Estes pensamentos negativos impedem-te de alcançares os teus objetivos, a felicidade e o sucesso. Se estás constantemente a pensar sobre aquilo que não tens em vez de pensares sobre aquilo que queres muito, há uma forte probabilidade de que isso influencie as tuas ações.
    Para seres bem-sucedido, precisas de alinhar os teus pensamentos com os teus objetivos.

 

 

  1. Confiança. Quando estás confiante, tornas-te um íman para o sucesso. Não é á toa que se diz muitas vezes: – Cuidado com aquilo que pensas!

    A autoconfiança é a chave para o sucesso em todas as áreas da vida. Podes ver neste artigo algumas estratégias para aumentares a tua autoconfiança.

 

 

  1. Tomar medidas. Colocar ação. Este é um passo essencial para ser bem-sucedido. Pensa em todas as coisas que deves fazer para atingires os teus objetivo. Basta começar a fazê-las, não importa a dimensão ou a dificuldade. Cada centímetro que avanças ficas mais perto do teu objetivo.

 

Não ter sucesso é simples.

Mas o sucesso e crescimento pessoal exigem trabalho árduo.

 

Algumas pessoas querem alcançar a liberdade financeira enquanto outras podem querer encontrar um verdadeiro amor ou melhorar o relacionamento existente.

 

 

Para se viver uma vida em grande é muito importante conhecer as leis que regem o sucesso. Estas dicas vão produzir uma verdadeira melhoria em qualquer área da tua vida. Só precisas de dominar estes passos para começares a atrair o sucesso na tua vida!

Forte abraço!

 

P.S: Dá agora mesmo um passo para o teu sucesso => REGISTA-TE

Como fazer Boas Escolhas Sempre!

Fazer boas escolhas – Uma interrogação quotidiana!


Devo aceitar este novo trabalho? Devo continuar os estudos ou procurar emprego? Será o momento indicado para constituir família? Que tipo de casa ou apartamento me agradaria mais?

Fazer boas escolhas pode parecer difícil.

 

A ideia de tomar uma decisão pode criar um clima de ansiedade. No entanto a vida é feita de escolhas em permanência.

 

Todos os dias fazemos escolhas. Algumas obviamente mais importantes que outras e mais decisivas. Mas as pequenas escolhas de hoje, podem ter um forte impacto a longo prazo.

 

É então necessário considerar as escolhas como um todo, como um conjunto, quaisquer que sejam a sua importância ou relevância.

 

Aprender a fazer boas escolhas no quotidiano é vital, permite-nos avançar na vida sem dependermos dos outros.

 

Infelizmente, o medo de nos enganarmos, de falharmos, de não tomar boas decisões ou até de nos arrependermos, pode impedir-nos de fazer escolhas.


Como saber então qual a melhor escolha a fazer? Como saber qual a melhor decisão a tomar?

 

Para responderes a estas questões podes utilizar os dois métodos seguintes:

 

A abordagem racional

 

 

 

Podes adotar uma abordagem racional fazendo:

 

– Pesando os prós e os contras

– Analisando as consequências da tomada de decisão

– Interrogando-te acerca das razões profundas da tua escolha

 

Este método apresenta as seguintes vantagens para se conseguirem fazer boas escolhas:

 

Tempo de reflexão. A escolha final será baseada em elementos tangíveis.

Esta forma pode ser-te conveniente, sobretudo se fores uma pessoa mais racional do que intuitiva.

 

No entanto o “racional” em demasia também tem os seus inconvenientes. É impossível prever o futuro e as suposições serão forçosamente aleatórias.

Para além disso com uma reflexão demasiado ”forçada”, arriscamo-nos a adiar a decisão “ad eternum”.

Quando esperamos até analisar todos os ângulos, arriscamo-nos a permanecer numa espécie de limbo da “não escolha”.

 

Hoje tenho a certeza de algo, as decisões tomam-se rapidamente!

 

E quando o teu coração te sopra algo diferente?

 

 

A abordagem intuitiva

 

 

Uma outra abordagem para tomar boas decisões, consiste em fazer confiança naquilo que sentimos, a apelar às nossas emoções.

 

Esta abordagem para fazer escolhas tem a vantagem de estar centrada exclusivamente em nós próprios. Podemos tomar uma decisão apenas em função de fatores internos.

 

Esta é sem dúvida aquela que mais utilizo.

 

Mas…decidindo apenas em função do que sentimos, pode ser por vezes algo frágil e extremamente subjetivo.

 

 

Então qual seria a receita para se fazer uma boa escolha?

 

Em primeiro lugar, penso que não existe nenhum método ideal para se tomarem boas decisões e iniciarmos algo novo.

 

Penso no entanto, que, para abordar a questão das escolhas, devemos sim abandonar 2 formas de pensar:

 

 

  • Fugir do perfecionismo:

 

Não existem escolhas perfeitas. A única coisa que podes fazer, é agir tendo refletido e “escutando” aquilo que sentes.

 

Agindo, testas as soluções!

 

E sim…tens o direito de te enganares.

 

Aliás…não te enganaste…agiste

 

Ao menos saberás que tentaste e não ficaste no “limbo” 🙂

 

Fizeste algo!

 

Depois fazes o balanço. Podes assim saber se a tua escolha foi acertada ou não. Podes analisar as circunstâncias que te levaram ao resultado obtido. E podes recomeçar, mudando as circunstâncias, tomando outro rumo.

 

 

  • Desdramatiza

 

A maior parte das escolhas ou tomadas de decisão não são irremediáveis.

Raras são as escolhas absolutamente definitivas, por isso…desdramatiza a tua tomada de decisão. Tem mais a ver com barreiras mentais e a ideia que temos das circunstâncias atuais que nos travam!


Será sempre tempo de fazer novas escolhas, de tomar novas decisões, de mudar e de melhorar.

 

Se tiveres sempre presente, que não existem escolhas perfeitas e desdramatizares a tomada de decisão, estas questões deixarão de ser um problema para ti, pois terás banido da tua mente, o medo de falhar.

 

 

Cada escolha será uma experiência de vida e a soma destas experiências, constituirá então o teu caminho de vida…em toda a sua singularidade.

 

 

Tu podes fazer hoje a tua escolha de vida!

 

 

Junta-te a este movimento de pessoas livres!

Regista-te!

Foi Só Um Pesadelo

Ontem enquanto estava de conversa com uns amigos, apercebi-me de algo terrível, que me deu pesadelos durante toda a noite!

Apercebi-me que há apenas 15 meses eu pensava como todas as pessoas pensam!

E em que é que isto é assustador pensas tu? Bem eu digo-te…

Eu pensava que ia ganhar entre 800 e 1200 euros por mês para o resto da minha vida,

Que iria de ter que trabalhar 8 a 12 horas por dia para o resto da minha vida,

Que iria ter que trabalhar um ano inteiro para poder ir uns dias de férias por ano…PARA O RESTO DA MINHA VIDA!

Á e claro…se por acaso aparecesse uma despesa extra, tal como um novo par de óculos ou um aparelho dentário para um dos meus filhos…bem…as férias ficariam para o ano seguinte.

Eu vou dizer-te honestamente…pensar nisto ARREPIA-ME!


Hoje tenho dias de ganhar aquilo que demoraria 8 meses a ganhar no meu ultimo trabalho!

Consegues imaginar? Ganhares num dia apenas aquilo que te levaria hoje 8 meses a fazê-lo!

Consegues sequer imaginar a tranquilidade que isso te traria?

Então deixa-me dizer-te algo:

Se o teu porquê, se o teu motivo pelo qual queres mudar de vida, sejam os teus filhos ou sejas tu próprio(a)…se essa razão for mais forte do que qualquer desculpa que possas dar…TU VAIS CONSEGUIR!

E eu e outras centenas de pessoas vamos estar cá para te levar literalmente ao colo nesta jornada!

Por isso REGISTA-TE AGORA MESMO, e assim que o faças contacta-me no skype: oliviercorreia1

Forte Abraço!

De Que Te Queixas?

Concordam comigo?

A mim parece-me senso comum!

Vamos a exemplos:

Exemplo 1

– Dói-me a cabeça.

– Eu costumo tomar este comprimido, passa-me em 20 minutos, toma um.

– À…não me apetece.

– Então não te queixes mais!

 

Exemplo 2

– Gostava tanto de deixar de fumar mas não consigo.

– Eu deixei há 5 meses com cigarros eletrónicos, se fores a este sitio explicam-te tudo.

– À…isso pode não resultar comigo.

– Então não te queixes mais!

 

Exemplo 3

– Estou tão farto deste meu trabalho. Tantas horas para ganhar 800€ por mês…

– Eu estava como tu há 15 meses atrás. Hoje com este sistema ganho muito dinheiro em casa, e sou eu que faço o meu horário. Eu posso ajudar-te, regista-te aqui que vamos começar.

– À…tenho receio que isso não dê em nada.

– Então “continua teso” e não te queixes!

PERDE-SE COMPLETAMENTE O DIREITO AOS QUEIXUMES!

Então se eu não estou bem como estou e alguém me diz que me resolve o problema apresentando-me uma solução, eu não a uso?

Seria um disparate não o fazer certo?

Então tu que recebes os meus emails, porque te inscreveste numa publicação acerca de uma forma de melhorar a tua vida e eu te apresento
a solução, não a usas porquê???

E se não os recebes os meus emails devias recebê-los (clica aqui para os receberes).

Sê proativo! Mete ação hoje! e começa a mudar a tua vida.

REGISTA-TE AQUI

Até Já 😉

Olivier Correia

Crenças Toxicas: Como livrar-se delas

Pensamentos tóxicos: Como os eliminar

Agora que chegou a primavera, lembrei-me de escrever um artigo que pudesse ajudar todos aqueles que desejam erradicar aquelas crenças que apodrecem a vida.

Estas crenças são um verdadeiro veneno que correm nas nossas veias e nos impedem de sermos felizes.

Estás pronto(a)? Vamos lá então 🙂

Pensamento tóxico nº1: O mundo está mal.

Se vês televisão sabes bem do que falo: Não se passa uma semana sem que haja uma catástrofe, um acidente, um evento climatérico bizarro. E ainda temos a crise, o mundo cheio de terroristas e epidemias que nos ameaçam constantemente.

Ficas deprimido(a) e pensas que o mundo vai de mal a pior!

Sabes o que eu penso?

Tontaria!

Enquanto continuares a pensar assim, não chegarás a lado nenhum! De facto, qual a vantagem de lutares para ser feliz se o mundo te vai impedir?

Pensamento tóxico: O mundo está mal.

Causas deste envenenamento: Demasiado tempo a ver televisão ou outros meios de comunicação pessimistas e sensacionalistas e/ou má leitura.

Antídoto: Olhar o mundo desde um ângulo positivo. Desprender-se das correntes de informação, que apenas stressam as pessoas para as incitar a passar mais tempo em frente à televisão. Dá um passo atrás em relação às notícias. Deixa-te de filmes de terror ou diminui a frequência.

Ouve musica que te relaxa, lê livros sobre desenvolvimento pessoal, vai ao parque com os teus filhos, lê biografias de pessoas de sucesso.

 

Pensamento tóxico nº2: Sou obrigado a ter este trabalho que detesto e não tenho escolha!

Eu pensei assim grande parte da minha vida. Estudar para ter um emprego que não gosto. Ficar á espera do fim-de-semana e contar os dias e as horas para que chegue.

 

Sabes o que significa para mim segurança de emprego? Aborrecimento, estagnação, um pesadelo! Passar 40 anos da minha vida num emprego a trabalhar 8, 9 ou 10 horas por dia, obedecer às decisões dos outros, suplicar aumentos mesquinhos e construir o sonho de outra pessoa que não eu!

 

Respeito obviamente todos aqueles que se sentem realizados desta forma, mas esta não é definitivamente a minha escolha.

 

 

E sim! É uma escolha! Existem alternativas, acreditar que existe apenas um modelo é um grande erro que nos pode custar a nossa liberdade!

 

Pensamento tóxico: Sou obrigado a ter um trabalho que não gosto.

 

Causas deste envenenamento: Quem nos educou, aqueles que nos são próximos, os professores, a nossa falta de curiosidade.

 

Antídoto: Informar-se sobre métodos alternativos que estejam ligados a algo que me agrade. Criar o seu próprio negócio. Ler biografias de pessoas que conseguiram realizar-se fora daquilo que é o convencional. Ousar mudar!

 
Pensamento tóxico nº3: Sou tímido(a), não posso viver como os outros.

Ah, a timidez, um dos piores inimigos de quem a sente…uma grande falta de maturidade também. Mas mais ainda, uma grande desculpa para não agir!

A timidez tem solução. Conheço pessoas que eram tímidas crónicas e passaram a ser pessoas muito sociáveis num curto espaço de tempo.
Quem acredita que é tímido, acaba por sabotar qualquer esperança de felicidade, acabando por se autolimitar e submeter-se a uma pressão completamente inútil.

Pensamento tóxico: Sou tímido(a) e nada posso fazer para mudar.

 

Causas deste envenenamento: Falta de confiança em si, passado difícil, educação.

 

Antídoto: Sair da sua zona de conforto. Tomar consciência de que ninguém é definido pela sua timidez. Arriscar. Envolver-se com pessoas.

 

 
Pensamento tóxico nº4: Ajudar tudo e todos custe o que custar.

 

Talvez te pareça estranho, mas por vezes esquecemo-nos que para ajudar os outros, devemos primeiro ajudar-nos a nós mesmos.

 

Num acidente de avião, se caírem as máscaras de oxigénio, as instruções são de colocares a tua primeiro antes de ajudares seja quem for, admito que como pai me causa alguma angústia este pensamento. No entanto devo admitir que se num caso desses me puser a ajudar antes de colocar a minha máscara, rapidamente perco os sentidos por falta de oxigénio e já não posso ajudar ninguém.

 

Pensa em ti primeiro, coloca-te em primeiro lugar. Aqueles que querem ajudar tudo e todos esgotam-se, e esquecem-se de aplicar neles próprios os melhoramentos necessários.

 

É claro que não estou a falar de darmos o nosso lugar a alguém num transporte público, de não mantermos a porta aberta para alguém entrar, de não darmos a vez ao carro que está para entrar onde circulamos.

 

Se conseguires ser feliz, vais empurrar aqueles que te rodeiam para cima. A felicidade irradia á volta daqueles que a sentem. É assim que se ajudam os outros.

 

Pensamento tóxico: Os outros valem mais do que eu.

 

Causas deste envenenamento: Falta de sentido de prioridades; síndroma do são-bernardo, acreditar que não somos suficientemente importantes para passarmos em primeiro lugar.

 

Antídoto: Pensa em ti. Toma tempo para te mimares, física e mentalmente. Dá prioridade às tuas necessidades básicas e em seguida se assim o escolheres, ajuda então os outros.

 

 

Pensamento tóxico nº5: Suportar relações e amizades.

 

Ouço muitas vezes as pessoas dizerem: tenho que ligar a fulano tal, já não falo com ele há não sei quanto tempo, qualquer dia ressente-me. Ou então: É difícil lidar com ela, está sempre a atirar-me isto ou aquilo à cara.

 

Vejo pessoas a esgotarem-se completamente, apenas porque ficam em proximidade de personalidades tóxicas que as arrastam literalmente para o lodo.

 

Se tivermos que “suportar” seja quem for, essa pessoa não merece relacionar-se connosco. Ninguém pode ficar à mercê da boa vontade dos amigos para ser feliz.

 

Aprendi que somos ou nos tornamos mentalmente idênticos às 5 pessoas com quem mais nos damos. Imagina então os estragos na nossa vida se essas 5 pessoas forem negativas e tóxicas!

 

O teu circulo mais íntimo devem ser pessoas positivas, pessoas que te querem bem, pessoas pelas quais deves querer deixar-te influenciar, por admirares as suas formas de estar.

 

Não te estou a dizer para cortares relações com alguém próximo, à martelada! Mas deves determinar quais as pessoas que são nefastas ao teu desenvolvimento e à tua evolução.

 

Por vezes não evoluímos no mesmo sentido, o teu melhor amigo de infância pode em nada corresponder-te 15 anos mais tarde. O mesmo acontece com um cônjuge: Devemos ficar com alguém que não nos faz feliz sob pretexto que ao princípio era bom?

 

As pessoas que fazem parte do teu círculo mais íntimo são uma escolha tua! Escolher viver rodeado de pessoas negativas pode muito bem ser igual a dares um tiro no pé!

 

 

 

Pensamento tóxico: Devo esforçar-me para suportar quem me rodeia.

 

Causas deste envenenamento: Ficar na sua zona de conforto, não ousar ferir suscetibilidades, não querer ver que já não nos identificamos com alguém próximo.

 

Antídoto: Rodear-se de pessoas positivas. Cortar as relações toxicas. Não estar tantas vezes com pessoas com quem temos menos afinidade. Continuar sempre a envolver-se com novas pessoas, mesmo quando está tudo bem, para melhorarmos em permanecia o circulo social.

 

 

Pensamento tóxico nº6: Sou demasiado velho(a) para mudar!

 

Esta é sem dúvida a desculpa nº1 que as pessoas usam para não agirem, para não mudarem as coisas e para não viverem os seus sonhos.

 

Podemos mudar em qualquer idade! Aliás…devemos!

 

Mudar hoje mesmo, seja qual for a tua idade, é a melhor decisão que poderás tomar na vida!

 

Muda para seres menos tímido, mesmo que tenhas 30 anos.

 

Trabalha a tua confiança, mesmo que tenhas 40 anos e que sempre tenhas tido uma baixa autoestima.

 

Aprende a seduzir, mesmo sem nunca teres agradado ao sexo oposto e tenhas 50 anos.

 

Aprende a tocar guitarra, mesmo que tenhas 60 anos.

 

Viaja aos 4 cantos do mundo, mesmo que tenhas 70 anos.

 

Nunca serás demasiado velho(a) para viveres os teus sonhos, és apenas conformado(a) e tens medo de sair da tua zona de conforto.

 

Efetivamente, se não mudares nada, nem fizeres nada para viver os teus sonhos és demasiado velho. Aí apenas te resta reformar-te e deixa-te estar no sofá.

 

Mas se o teu querer for forte…se tiveres um motivo válido…se quase que consegues saborear o sonho de tanto pensares nele…seja qual for a tua idade tu consegues!

 

Porque a vida é isto! É ganhar competências, é ultrapassar-se, é aprender novas coisas, é arriscar, é melhorar, é evoluir, é vivermos o nosso sonho!

 

Pensamento tóxico: Sou demasiado velho para mudar.

 

Causas deste envenenamento: o Status Quo da sociedade, falta de confiança, preguiça, desmotivação.

 

Antídoto: Tomar as rédeas da vida seja qual for a idade. Viver os sonhos, alterar as circunstâncias, arranjar os meios.

 

 

Porque a vida é agora!

 

E se não aproveitarmos (unicamente se não aproveitarmos) será tarde demais!

 

MUDA HOJE!

Os 5 Pilares para uma Vida Extraordinária

Todos podemos ter uma vida extraordinária. Esta vida não é apenas reservada aos grandes deste mundo, aos mais influentes e aos mais afortunados.

Seja qual for o teu nível de estudos ou as tuas origens tu também tens a possibilidade de mover montanhas, a capacidade de levar a cabo grandes projetos e de mudares as coisas á tua volta.

Agora, não esperes ganhar a lotaria, teres mais idade ou libertares-te da educação dos teus filhos para teres a vida que queres ter. Decide desde já e começa a colocar em prática numa base diária as estratégias que te vão conduzir a essa vida.


É importante que te apoies nos 5 pilares principais, que os desenvolvas ao longo do tempo, para que todos os teus projetos se realizem e que a tua vida seja extraordinária, principalmente aos teus olhos.

Pilar nº1:

Ter uma visão clara e precisa em função da tua identidade profunda e anunciá-la sob a forma de um projeto.

Para teres uma vida extraordinária é necessário agires, iniciar os teus projetos, sem esperar que os outros decidam isso por ti e sem teres receio que te julguem.

 

Como definir então um projeto que te corresponda e te permita sentires que estás vivo(a) ?

Para começar deves sair da tua visão puramente quotidiana, da tua rotina e questiona-te sobre quais são os teus desejos mais profundos, quais são as áreas que te apaixonam, qual é a atividade que te dá mais prazer. Neste estádio não te preocupes com as tuas circunstâncias atuais, sob risco de te autolimitares.

A partir dos teus desejos profundos, vais definir um objetivo. Este objetivo estará então perfeitamente adequado com a tua personalidade e ancorado à tua identidade profunda.

Porque é isto importante?

Porque quando ages de acordo com a tua personalidade profunda, desenvolves uma visão clara e precisa daquilo que queres atingir na vida.

 

Agora deves escolher um projeto que sirva os teus objetivos. Um projeto que te vai permitir agir sobre os teus desejos e sobre aquilo que queres para ti.

No meu caso escolhi este: O MEU PROJETO

Podes optar pelo mesmo, ou podes usar qualquer outro que te seja favorável e aches que te vá servir de veículo.

De seguida, anuncia o teu projeto sob a forma de uma frase curta, positiva, esta servir-te-á de guia ao longo das tuas ações.

Agora que já definiste o teu projeto, deves agir para que este se realize.

Eis a estratégia que te proponho…

Pilar nº2:

Definir uma estratégia sob a forma de vários objetivos


A tua visão é o fio condutor. Vais dividi-lo em objetivos a longo prazo, ou seja num horizonte de um ano. Depois este objetivo de 1 ano vais decompô-lo por sua vez em objetivos a médio prazo (3-4 meses). E por fim divides os objetivos a medio prazo em objetivos a curto prazo (3-4 semanas).

Para que o teu projeto avance é absolutamente necessário teres ações concretas sobre as quais possas agir, estas ações são os objetivos a curto prazo. Tais como fazeres o teu registo AQUI para teres acesso ao veículo que te vai permitir atingires os teus objetivos a médio prazo.

Uma vez que tenhas atingido todos os objetivos a curto prazo (as démarches necessárias para começares). Vais começar a aproximares-te dos objetivos a médio prazo (que podem ser por exemplo adquirir certas competências). Assim depois de atingires um desses objetivos a médio prazo, estarás cada vez mais perto do teu objetivo final!

Simples não?

 

(Se queres saber mais sobre definir objetivos podes ver AQUI)

Com esta estratégia, vais agir sobre o quotidiano para o teu projeto de vida. No entanto, um dos grandes obstáculos com que as pessoas por vezes se deparam é a falta de motivação contínua.

Pilar nº3:

Colocar em prática hábitos de vida para estar motivado no quotidiano e a longo prazo.

Esta motivação acontece através de se colocar em prática hábitos de vida.

E como se cria?

Primeiro deves definir quais os hábitos que precisas para que o teu projeto avance. Pode ser por exemplo escrever um artigo por dia no teu blog se desejares viver da Internet e seres financeiramente livre, ou ainda treinares todos os dias para participares de uma maratona.

 

Sugiro-te ainda que pratiques este novo hábito durante 30 dias a fio, por forma a mecanizares esta ação até se tornar natural para ti.

Os hábitos de vida permitem lutar contra as quebras de motivação e a procrastinação. Agem como potentes lembretes da mente.

A motivação é não só um fator interno, mas pode igualmente ser aniquilada por acontecimentos externos ou pessoas. Daí a importância de te rodeares das pessoas certas.

Pilar nº4:

 

Constituir um círculo social que te puxa para cima e te ajuda a tingires os teus objetivos.

O teu círculo social deve ser um trunfo a teu favor para avançares no teu projeto de vida. Se te rodeias de pessoas pessimistas ou negativas, vais tu também perder confiança e até tentares convencer-te que o teu projeto não é exequível.

Ao contrário disso, as pessoas positivas, alegres, que já têm o sucesso que procuras na realização do teu objetivo de vida, vão envolver-te com a sua motivação e até ajudar-te a ires avante na realização dos teus objetivos.

Rodeia-te destas pessoas. Se não tens ninguém assim no teu círculo, desenvolve novas conexões, foi o que eu fiz com o meu grupo de trabalho. Vais literalmente beber otimismo e dinamismo!

Acredita no que te digo…vale a pena!


Pilar nº5:

Passa à ação no quotidiano fazendo várias pequenas tarefas, em vez de o fazeres raramente numa tarefa maior.

Por fim, um conselho que queria partilhar contigo hoje, é que deves tomar ação nem que seja um pouco todos os dias em vez de tomares uma grande ação apenas de vez em quando.

Porquê?

Começas um projeto, estás completamente entusiasmado(a), lanças-te de corpo e alma. Depois, vem o primeiro grão de areia, começas a duvidar de ti e abandonas.

A boa estratégia, não é lançares-te numa tarefa quase impossível para ti por enquanto, que ainda não tens as competências todas necessárias. Deves inicialmente agir sobre as pequenas ações simples, concretas e fáceis de realizar.

Por isso te falei antes de teres diferentes pequenos objetivos, para depois chegares aos médios e por último ao principal. Só assim terás uma estrutura coerente: sabes que tal ação, por mais pequena que seja corresponde a tal objetivo.

As pequenas tarefas não te fazem desencorajar e a sua acumulação permite realizar grandes feitos e de proporcionarem uma vida extraordinária, aquela vida que tu vais construir, que te vai dar a liberdade que tanto queres, seguindo os teus desejos mais profundos.

Mete ação agora!

Começa hoje o teu maior sonho!

Abraço amigo(a)

Olivier

Os 3 Tipos de Vidas que Podes Levar

Acredito que existam 3 tipos de vidas no espectro da vida. Dependendo em qual delas nos situamos vamos determinar com isso a nossa qualidade de vida.

A chave é sabermos honestamente onde nos encontramos e tomar a decisão honesta de mudarmos.


 

1º Tipo de Vida

A Vida Armadilhada

As pessoas encontram-se presas às suas circunstâncias e nas expectativas dos outros.

“Agarrados” aos seus sistemas de crenças limitativas, acham que nunca se vão libertar.

A maioria de nós já passou e outros ainda estão presos nesta vida.

É como quando se mete um leão selvagem no jardim zoológico. O leão passa algum tempo a lutar para sair da sua jaula e com o tempo e a frustração acaba por se conformar.

As pessoas não são diferentes. Torna-se fácil identificar aqueles que estão presos nesta vida, todos usam um padrão de comunicação recorrente, apontam constantemente o mundo como a culpa principal dos seus destinos, o mal está sempre nos outros e acham-se incompreendidos.

Acreditam que as suas circunstâncias são as piores de todas e operam a partir de um alto nível do ego.

Só há duas coisas que podem fazer com que alguém se desprenda deste tipo de vida:

A) Um fator externo que apareça nesta vida, como uma nova relação com alguém que vai influenciar a decisão de mudar, ganhar dinheiro do nada, como a lotaria, uma herança, etc… Só este tipo de acontecimentos externos podem transformar esta vida.

B) Um fator interno. Algo muda dentro da pessoa. Uma tomada de consciência que a leva a querer mudar e a tomar a decisão de colocar ação.

2º Tipo de Vida

A Vida Confortável

Este tipo de vida é caracterizado pelo conforto material. O dinheiro já não é problema, pagam-se as dividas e todas as contas. É a típica “vida de dois lugares de garagem”.

Ganharam-se competências novas que postas a uso garante o equilíbrio familiar e financeiro.

…no entanto…algumas pessoas aqui começam a querer algo mais….

3º Tipo de Vida

A Vida Poderosa

Esta vida, caracterizada por um elevado estado de energia e paixão, é vivida em constante desafio e causas maiores.
É a vida em que o ser humano se começa a preocupar com o Humanitarismo e a ação social.

Esta vida já não é guiada pelo materialismo e o conforto, mas sim por uma constante busca do alargamento da nossa própria zona de conforto.

Crescer a servir é o lema desta vida.

É um pouco aquilo que fazem os Lazy Millionaires, estes empreendedores sociais que têm por lema: “Desfrutar a Vida e Fazer a Diferença”

Mais sobre os Lazy Millionaires aqui: http://oliviercorreia.com/c/?p=f1lcpt

Forte Abraço para ti!