Estratégias para Aumentar a Autoconfiança

Um dos principais fatores que podem demover alguém de atingir os seus objetivos é a falta de autoconfiança. Na realidade, a autoconfiança é tão importante que, quando carecemos desta, ficamos incapacitados de ir atrás do que queremos e, em muitos casos, não realizamos os nossos sonhos.

 

Caso não estejas devidamente familiarizado com as melhores formas de o fazer, vamos ver abaixo algumas estratégias para aumentar a tua autoconfiança, as quais te vão poder ajudar a realizar os teus objetivos.

 

 

Acredita em ti e enfrenta os teus medos

É preciso salientar que todas as pessoas sentem medo de algo, em determinada altura das suas vidas, contudo, sentir medo de algo não significa que não possas enfrentar quaisquer situações que despoletem esse medo.

 

Muitas pessoas, por exemplo, têm medo de falar em público. Embora possa não parecer, trata-se de um medo ecuménico. O próprio Dale Carnegie, famoso orador e escritor norte-americano, ensinou imensas pessoas em todo o mundo sobre como falar facilmente em público, no entanto, um dos primeiros passos que ele ensinava para o fazer com sucesso era precisamente enfrentar esse medo.

 

Nada abala mais a autoconfiança do que sucumbir ao medo. Porém, enfrentar as situações com coragem, não só fomenta a confiança em ti próprio como inclusive fortalece o carácter. Mesmo que, inicialmente, sintas algumas dificuldades em fazer algo, nunca desistas. A prática, bem como a persistência, é uma aliada da perfeição.

 

Cuida da tua saúde, corpo e mente

 

 

 

Sejamos sinceros, tanto uma imagem descuidada como o mal-estar físico não ajudam propriamente a fomentar a tua autoconfiança, pelo contrário.

 

Quando cuidas da tua saúde e do teu corpo, podes aumentar significativamente a tua autoconfiança. Isto acontece porque a saúde e o aspeto físico continuam a ser essenciais para obter uma boa imagem. Quando isso sucede, não só te sentes com maiores índices de autoconfiança, como também transpiras mais confiança nas outras pessoas.

 

Porém, de nada adianta ter em atenção os aspetos que veiculei acima se, concomitantemente, não cultivares a tua mente. Isto pode passar por estudar, ter formações adicionais, frequentar eventos, ler, falar com outras pessoas, enfim, uma mescla de situações que permitem com que alimentes o teu intelecto.

 

A inteligência, bem como a sabedoria, podem ser cultivadas por ti, de forma a propiciar ainda mais a tua autoconfiança.

 

 

Traça objetivos

Este é um aspeto que não deve ser, naturalmente, descorado por ninguém. Decerto que já ouviste em determinada altura da tua vida que é necessário teres objetivos. Para além de todo o aspeto existencial relacionado com os propósitos de cada um, os objetivos são essenciais para impelir as pessoas a conseguirem realizar algo.

 

Na realidade, quando nos decidimos a realizar algo que implique algum esforço da nossa parte, independentemente da natureza do objetivo, e conseguimos, a nossa autoconfiança aumenta de forma exponencial.

 

Mesmo que outras pessoas não tenham a tua visão ou não acreditem nos teus objetivos, nunca te deixes abalar. Basta que acredites em ti e no que estás a fazer, para alcançar o que pretendes.

 

 

 

Não existem adversidades…apenas desafios

 

Adversidades acontecem a todos, eu gosto no entanto de lhes chamar “obstáculos transponíveis”. É um nome fixe não achas? 🙂

Podem surgir em qualquer altura das nossas vidas, contudo, isso não significa que devam travar os nossos objetivos, pelo contrário, deverão constituir mais um desafio a ser ultrapassado.

 

Todas as pessoas estão invariavelmente sujeitas a sentimentos de perda e tristeza, todavia, ultrapassar esses momentos permite fortalecer o nosso carácter e aumentar a autoconfiança. Não deixes que os obstáculos minem e abalem as tuas convicções, vê-os como oportunidades para mostrar que és inabalável e que, por muitos desafios que te possam surgir no presente ou futuro, tu conseguirás ultrapassá-los…sempre!

 

A autoconfiança é essencial para atingir o sucesso, independentemente de quais forem os teus intentos. As estratégias que te falei acima, naturalmente, poderão ajudar-te, no entanto, tens de as colocar em prática, seguir em frente mesmo quando enfrentas adversidades e, acima de tudo, seres persistente. Ninguém disse que era fácil alcançar o sucesso, mas se acreditares em ti e fores persistente…não há como não acontecer!

 
No final das contas tudo se prende com uma decisão que faças num determinado momento da tua vida.

 

Podes tomá-la hoje aqui, começando o teu próprio negócio online, com um grupo de gente fantástica, um grupo de gente livre…

 

Ou podes continuar a deixar passar a carruagem…e continuar a ver nada acontecer.

 

Anda…REGISTA-TE 🙂

Os Segredos da Autoconfiança em 5 Etapas 5/5

Este é o último artigo desta série de 5 que te vai ajudar a desenvolveres a “autoconfiança” Podes ver os outros 4 artigos AQUI.

Este quinto artigo tem por título:

5-Mandela & o Otimismo na vida

 

Finalmente, nada como o otimismo para termos autoconfiança.

O Nelson Mandela é para mim um modelo de otimismo.

“Sou fundamentalmente Otimista. Que isto seja ou não inato, nunca o saberei dizer. Uma forma de sermos otimistas é mantermos a cabeça erguida virada para o sol e os pés em movimento. Muitos foram os momentos sombrios em que a minha fé na Humanidade foi posta à prova mas nunca quis nem podia, entregar-me ao desespero. É assim que rejeitamos a derrota e a morte”

– Mandela

 

 

 

Deixo-te hoje 3 dicas neste último artigo da série:

1- Sorri!

2- Procura as vantagens e o lado bom de todas as coisas ou situações (até as piores). Há sempre!

3- Rodeia-te de pessoas positivas. Elimina as pessoas ou as influências negativas da tua vida (televisão, pessoas que se queixam, filmes tristes, etc…)

 

 

“Um pessimista vê dificuldades em todas as oportunidades, um otimista vê oportunidade em todas as dificuldades.”

– Churchill

 

 

Espero que te tenha dado tanto gozo leres estes artigos quanto eu tive a escrevê-los.

Diz-me o que pensas nos comentários abaixo 😉

Forte Abraço!

 

O Olhar dos Outros

Muitos de nós podem por vezes ser penalizados e sentir-se inibidos pelos olhares dos outros, pelo medo de serem julgados, de serem gozados ou de parecerem estúpidos. São sentimentos que podem efetivamente atrofiar as ambições e capacidade de agir.

Então como fazer quando somos suscetíveis de sermos impressionados pelo olhar dos outros?

Como libertar-se desse peso?

Eis uma astúcia que permite eficazmente alienar-se dos outros, e assim ganhar autoconfiança, em capacidade de ação e audácia.

Não se trata de julgar! Em todo o caso não julgar os outros.

Porquê?

Porque julgando negativamente os outros, vamos alimentar no nosso íntimo a possibilidade dos outros fazerem o mesmo.

 

Quem não julga os outros aceita-os melhor e consequentemente aceita-se melhor.

 

Quando não julgas, quem te pode julgar? Quem tem o direito de o fazer? Já que não o fazes…

O facto de não se julgar os outros, de ver o positivo nas suas ações, de os desculpar, de ser bem-intencionado a respeito deles, mesmo quando estes são nitidamente mal-intencionados ou simplesmente parvos. Vai permitir-te ultrapassar-te uma grande parte dos bloqueios que podem estar presentes na tua existência em relação ao “olhar dos outros”.

Lembra-te: «Serás julgado como julgas!»

Isto significa que quando maldizes, quando criticas negativamente alguém, autorizas no teu íntimo os outros a fazerem o mesmo.

Se não gostares de críticas destrutivas, evita criticares. Isto melhorará a tua autoconfiança.

O olhar com que te vês é similar, ao olhar com que vês os outros.

Tu e o olhar dos outros

Um elemento a teres em conta para te emancipares do olhar dos outros, e reconhecer que cada um de nós tem tendência a pensar que o outro é melhor que nós, em uma ou mais áreas. Então lembra-te sempre que quando pensas que “fulano tal” é melhor que tu, existem fortes possibilidades dessa pessoa pensar o mesmo em relação a ti.

Talvez se devam mutuamente fazer essa pergunta?

Todos nós temos competências únicas. Que ninguém pode igualar. Ainda assim devemos ser capazes das identificar, das utilizar, para o nosso desenvolvimento pessoal e para o daqueles que nos rodeiam.

Ser auto-confiante é ir para além do olhar dos outros.

Se ainda assim te sentes intimidado com o olhar dos outros, podes reduzir o impacto em ti utilizando as seguintes técnicas:

Não julgar os outros

Não te deixes “afogar” por cenários negativos


Determinar com precisão os teus valores

Cada um é diferente e a nossa obrigação moral é aceitar todos como são. Acima de tudo nós mesmos.

Podes ainda memorizar as citações seguintes:

 

“Nenhum homem pode censurar ou condenar outro homem, pois nenhum homem conhece verdadeiramente o outro”

– Thomas Browne

ou ainda
 

“E sobretudo sejamos indulgentes uns com os outros”

– Paul Verlaine

O único olhar que conta

É aquele com que te olhas a ti próprio. O que os outros pensam não tem qualquer importância.

Deixa-me dizer-te algo que aprendi com a experiência, num local de grande desenvolvimento pessoal. Os outros…não estão nem aí! Temer o olhar dos outros é apenas fruto do nosso egocentrismo, da nossa insegurança e falta de confiança.

Quem te pode julgar? Que te pode mandar a primeira pedra? Claro que serão aqueles que julgam, aqueles que ainda temem o olhar dos outros. Aqueles que ainda usam a mascara da pressão social.

Poucos são aqueles que são autênticos e vivem sem fardo. Mas tu podes fazer parte desse grupo se assim o desejares…
O teu trabalho consiste em teres uma boa imagem de ti próprio.

Pelos teus atos e ações, vais forjar o olhar que o “outro tu” (a tua consciência) vai ter de ti. Se tiveres orgulho de ti deixarás de temer o olhar dos outros.

E se te sentires desconfortável para iniciares seja aquilo que for, pois corres o risco de passar por um falhado, um incapaz ou um idiota. Pensa nisto:

É pior ter arrependimentos por não ter feito do que remorsos por ter tentado.

Falhar faz parte do sucesso. Se o olhar daqueles que nada tentam te paralisa, lê novamente o parágrafo anterior e lembra-te sempre que não há nada pior do que não tentar.

“Faz alguma coisa, e se não conseguires tenta de novo”

– Franklin Rosevelt

e ainda:
 

“Julgar ou outros é julgar-se”

– Willliam Shakespeare


e para terminar:


“A natureza deu aos homens o fazer e deixou aos outros o julgar”

– Vauvenargues


Para concluir, devemo-nos borrifar literalmente para o olhar dos outros.

Quando este apenas se contentar de crítica construtiva, é evidente que poderá ser uma ferramenta útil para aquele que quer progredir. Poderá servir para medir o grau de incongruência entre aquilo que somos e aquilo que parecemos.

Este feedback construtivo ajuda-nos a progredir, a melhor comunicarmos, a melhor passarmos a mensagem, a nos adaptar e a corrigir eventuais falhas. Mas em caso algum deve ser inibidor.

Quem me ama que me siga como sou…e me melhore com amor.

Forte abraço!

Os Segredos da Autoconfiança em 5 Etapas 4/5

Este é o quarto artigo desta série de 5 que te vai ajudar a desenvolveres a autoconfiança. Podes ver os últimos 3 artigos AQUI.

Este quarto artigo tem por título:
 

4- Buda & a Vida em Consciência

 

A próxima etapa para melhorar a autoconfiança, consiste em conectares-te contigo próprio no momento presente.

Durante o dia e tantas vezes quanto te for possível, para um pouco e toma consciência do teu corpo, daquilo que ressentes e dos teus pensamentos, nesse preciso momento.

 Transforma-te num observador de ti mesmo.

Esta ação simples, vai permitir-te uma reconexão com o momento presente. É aquilo a que chamamos “a consciência plena”.

Já vimos no primeiro artigo desta série, que a falta de autoconfiança, está ligada a experiencias negativas do passado.

Assim, quando te reconectas com o presente, abres a porta a novas potencialidades!

Buda tem um dos mais sábios ensinamentos acerca deste conceito:

 

Não demores no passado. Não te percas no sonho do futuro. Concentra o teu espírito no momento presente.

– Buda

 

 

Não percas o próximo e ultimo artigo desta série: 5 – Mandela & o Otimismo na Vida.

Forte abraço!