Cristiano Ronaldo – Não é Trabalho é Paixão (parte 2)

Na primeira parte deste artigo (se ainda não leste a primeira parte deste artigo, podes fazê-lo aqui) mostrei como podemos usar uma personalidade famosa como exemplo de inspiração para quem pretende tornar-se um empreendedor de sucesso.

Escolhi o Cristiano Ronaldo como fonte de inspiração, por se tratar de alguém que todos conhecem e que tem uma história de vida que deve ser conhecida por todos.

 

Como outras pessoas que ousaram desafiar os seus próprios limites com o objetivo de conquistar o topo da sua área profissional, também Cristiano Ronaldo possui algumas caraterísticas que o ajudam a posicionar-se onde está hoje.

 

Falámos sobre a forma como Cristiano lutou contra um destino que parecia estar traçado e que iria conduzir certamente a uma existência modesta e de como ele teve a capacidade de ultrapassar os obstáculos que surgiram quando ainda estava a dar os primeiros passos na sua carreira.

 

Mas há outros aspetos da carreira e da personalidade deste grande jogador que te podem úteis no teu percurso para atingires os teus objetivos. Vamos então continuar a nossa análise.

 

 

 

As Caraterísticas Que Conduziram Cristiano Ronaldo Ao Sucesso

 

 

3 – Continuar Sempre a Evoluir 

 

Cristiano Ronaldo chegou ao Sporting como um diamante em bruto.

 

Neste clube português trabalhou arduamente durante a adolescência e tornou-se num extremo e veloz tecnicista. 
Quando aos 18 anos se mudou para o Manchester United foi obrigado a evoluir física e taticamente. Ganhou massa muscular e tornou-se num jogador mais eficiente, algo essencial para ter sucesso em Inglaterra.

 

 

Quando se transferiu para o Real Madrid estava no topo da sua carreia, já havia conquistado diversos títulos pelo seu clube e tinha recebido a sua primeira Bota de Ouro, mas não foi isso que travou o seu desejo de continuar a evoluir.

 

No clube espanhol passou a jogar mais perto da baliza adversária e desenvolveu uma capacidade concretizadora sem paralelo no futebol mundial, esmagando recorde atrás de recorde.

 

Este é um exemplo especialmente importante na área do empreendedorismo, pois os empresários que são capazes de se reinventar são aqueles que conseguem chegar a um patamar mais elevado.

 

A lição que deves retirar deste exemplo é simplesmente: quando atinges um objetivo não relaxes, estabelece uma meta ainda mais elevada e trabalha para conseguires alcançá-la.

 

 

4 – Define o Teu Objetivo 

 

 Ainda na sua infância, Cristiano definiu o seu objetivo: tornar-se no melhor jogador do mundo. Esta afirmação poderia parecer utópica para todos aqueles que o rodeavam, mas Cristiano não descansou enquanto não alcançou a sua meta.

 

Esta mentalidade de almejar o topo é comum a outros desportistas de elite. O famoso jogador de ténis Novak Djokovic também começou a afirmar aos 8 anos que seria o melhor tenista do mundo.

 

 

Este desejo de ser o melhor e de ficar na história de um desporto é a força matriz que ajuda muitos atletas a transcenderem-se e a quebrar barreiras que para uma pessoa comum são inultrapassáveis.

 

 

5 – Aprender a Lidar Com a Pressão

 

 Desde muito cedo que Cristiano Ronaldo aprendeu a lidar com a pressão. Ainda adolescente, ele tornou-se um alvo a abater para os jogadores e adeptos das equipas rivais e habituou-se desde logo a jogar em ambientes hostis.

 

 

Ao longo do teu percurso também irás enfrentar algumas situações de pressão. Não conseguimos nunca agradar a todos. Pode aparecer alguém que não está completamente satisfeito com o teu trabalho, ou podes por exemplo, sentir dificuldades em atingir os teus objetivos.

 

Conseguir enfrentar todas as situações de pressão que possam surgir é indispensável.

 

 

Segue Estes Ensinamentos e Conquista o Topo

 

Se como o Cristiano Ronaldo encarares o teu trabalho com paixão, tenho a certeza que também tu conseguirás evoluir e melhorar de forma constante, nunca perdendo de vista os teus objetivos.

 


E sei também que se tiveres o veículo certo, a equipa certa e os mentores certos…nada te poderá parar!

Regista-te aqui e começa hoje a fazer parte de uma equipa que te vai literalmente “levar ao colo” para que sejas bem sucedido.

Partidas da Vida ou Partidas da Mente?

Em determinados momentos sentimos que a vida nos prega partidos e parece que os alicerces de tudo o que valorizávamos em nosso redor começam a ruir. O próprio brilho do sol parece perder intensidade, as cores das flores já não vibram da mesma forma e tudo parece mais soturno e deprimente.

 

 

Mas será que já paraste para pensar se é realmente a vida que te prega partidas ou se somos nós, com os nossos comportamentos e atitudes que transformamos acontecimentos comuns em algo mais pesado?

 

Esta é uma questão importante e crucial para que possas lidar melhor com os percalços negativos que vão surgindo ao longo do teu quotidiano. Deves deixar de acreditar que todas as derrotas que sofres resultam de um alinhamento cósmico que serve apenas para te prejudicar.

 

O universo não está nem aí!

 

E se a responsabilidade da espiral negativa em que por vezes te encontras for apenas e só da tua responsabilidade, ou melhor da forma como lidas com os obstáculos que vão aparecendo na tua vida?

 

 

Muda a Tua Forma de Lidar Com Os Acontecimentos Negativos

 

 

Ao longo da tua vida pessoal e profissional vais deparar-te com acontecimentos negativos. Isso é algo inevitável, que faz parte da própria existência humana.

 

Irás ter que lidar com a morte de pessoas que te são próximas, com separações e com frustrações profissionais.

 

Mas será que estas situações expressam realmente algo sobre ti e sobre o mundo que te rodeia?

 

A maioria das pessoas acredita piamente que os acontecimentos são responsáveis pelas nossas emoções, que sentimentos como medo, alegria ou tristeza dependem apenas daquilo que nos acontece.

 

Se isto fosse verdade, então não teríamos verdadeiramente controlo sobre as nossas emoções e o conceito de inteligência emocional não faria qualquer sentido.


Para descomplicar um pouco, aquilo que estou a afirmar é que não são os acontecimentos que nos despertam determinadas emoções, mas sim aquilo que pensamos sobre os acontecimentos.

 

E será que esta ideia também se pode aplicar aos acontecimentos mais negativos? Por mais incrível que pareça, a resposta é sim.

 

Até os acontecimentos mais dramáticos e a sua capacidade de interferir com a nossa vida dependem apenas e só do significado que lhes atribuímos e de como os interpretamos.

 

 

As Pessoas Reagem Diferente Perante Acontecimentos Semelhantes

 

Isto explica-nos porque, perante situações semelhantes, as pessoas podem reagir de forma completamente diferentes.

 

Vou ilustrar com um exemplo:

Imagina que numa ida ao restaurante te cruzas com dois antigos colegas de trabalho com quem tinhas uma relação perfeitamente normal e quando te despedes deles, ficas com a impressão de que passaste a ser o tema de conversa entre eles.

Algumas pessoas vão sentir-se desconfortáveis nesta situação e vão acreditar, quase de forma automática, que os seus antigos colegas ficaram a proferir coisas negativas a seu respeito. Talvez tenham ficado a falar daquele erro grave que cometeram um dia. Ou talvez, nunca tenham gostado realmente delas e estejam agora a demonstrar isso mesmo.

Contudo, outras pessoas vão reagir com naturalidade à impressão com que ficaram e vão ficar a pensar que os antigos colegas gostaram de encontrá-las e que por isso ficaram a dizer coisas agradáveis a seu respeito.

 

Tudo depende da perspetiva e da forma como se queira encarar cada acontecimento. Aquilo que nos acontece no nosso quotidiano não tem que condicionar de forma permanente a nossa existência.

 

 

És tu que decides qual a verdadeira importância que cada acontecimento tem na tua vida.

 

 

Agora diz-me uma coisa,

 

Como te sentes em relação a fazeres parte de um projeto que pode mudar a tua vida para sempre?

Como te sentirias se, por tomares hoje mesmo a decisão de te registares aqui, mudasses por completo a tua qualidade de vida e situação económica?

 

Pensa naquilo que vais sentir quando fores livre!

 

 

REGISTA-TE AQUI

Cristiano Ronaldo – Não É Trabalho É Paixão (Parte 1)

Além de ser um dos melhores jogadores de futebol do mundo, Cristiano Ronaldo é um excelente exemplo para todos os que querem entrar na área do empreendedorismo.

Quem tem acompanhado de forma próxima a carreira do nosso craque, certamente não fica admirado com esta menção num blog dedicado ao empreendedorismo e desenvolvimento pessoal.

Para quem não acompanha minimamente o futebol, deixo um esclarecimento que serve como introdução para este a artigo: Cristiano Ronaldo é constantemente elogiado pelos atuais e antigos colegas e treinadores devido à sua dedicação ao trabalho e vontade insaciável em melhorar.

Para Cristiano, chegar ao topo não foi suficiente. Quando acedeu aos patamares mais altos do futebol mundial, não hesitou em traçar um novo objetivo: alcançar a imortalidade, batendo recorde atrás de recorde.



Devido ao seu perfil ambicioso e à capacidade que sempre demonstrou de melhorar e de atingir objetivos cada vez mais ambiciosos, Cristiano Ronaldo é hoje estudado por muito empreendedores.

 

É claro que os empresários que procuram inspiração no Cristiano Ronaldo não pretendem aprender as suas fintas, nem os segredos para a sua eficácia. Desejam sobretudo perceber como é que ele conseguiu superar-se de forma repetida e ultrapassar todos os desafios que surgiram no seu percurso profissional.

 

 

As Características Que Conduziram Cristiano Ronaldo Ao Sucesso

 

 

O empenho e a vontade de singrar são características que CR7 evidenciou desde muito novo. Foi no início da sua adolescência que Cristiano percebeu que só seria melhor do que os seus colegas e adversários se trabalhasse mais do que todos eles.

 

O seu sucesso começou nesse momento, mas teve várias etapas. Vejamos o que diferencia este jogador “de outro planeta”, de todos os outros.

 

  1. Não Se Ter Resignado A Um Destino Que Parecia Traçado

Cristiano Ronaldo nasceu no seio de uma família pobre. Os seus pais eram pobres e Ronaldo cresceu sem acesso aos mesmos brinquedos e condições que os seus amigos tinham. O seu brinquedo favorito era mesmo uma bola de futebol que o acompanhava para todo o lado.

 

 

Mas a ausência de condições nunca o impediu de cimentar o seu sonho de se tornar jogador profissional de futebol. Passou horas incontáveis a jogar com os outros miúdos do seu bairro e quando não tinha ninguém por perto jogava sozinho, fazendo passos contra a parede.

 

Transpondo este espírito para a realidade do futuro empreendedor, a perseverança de Cristiano Ronaldo mostra-nos que “a falta de condições” não pode ser desculpa. Atualmente não precisamos de muito para montar um negócio. Um computar ligado à Internet pode ser o ponto de partida para algo grandioso.

 

 

  1. Ultrapassar os Obstáculos

Cristiano Ronaldo deixou a Madeira para rumar ao Sporting com apenas 11 anos. Subitamente, viu-se longe de toda a sua família, num ambiente totalmente desconhecido. Os primeiros tempos do jogador na Academia do Sporting foram complicados, não só devido às saudades da família, mas também porque os outros meninos brincavam com o seu sotaque madeirense acentuado.

 

Apesar de chorar quase diariamente, Cristiano conseguiu superar as saudades de casa e rapidamente conseguiu impor-se junto dos seus clubes, muito por culpa da sua qualidade e da sua dedicação ao trabalho. Mais tarde, CR7 afirmaria que os obstáculos com que se deparou no início da carreira contribuíram para que ele amadurecesse mais rapidamente do que os seus colegas, algo que foi essencial na sua evolução.

 

Irás certamente encontrar alguns obstáculos no teu percurso, mas não deves permitir que o teu desenvolvimento pessoal e profissional seja afetado pelo receio de enfrentá-los.

 

Estas são apenas algumas das características do Cristiano Ronaldo que merecem a pena ser estudadas por todos os candidatos a empreendedores. Na segunda parte deste artigo vamos analisar mais detalhes da carreira de CR7 que podem ajudar-te a melhorar enquanto empreendedor.

Fica atento à segunda parte deste artigo…muito em breve neste blog 🙂

 

 

Começa hoje mesmo o teu negócio online

FAZ O TEU REGISTO AQUI

 

 

Como fazer Boas Escolhas Sempre!

Fazer boas escolhas – Uma interrogação quotidiana!


Devo aceitar este novo trabalho? Devo continuar os estudos ou procurar emprego? Será o momento indicado para constituir família? Que tipo de casa ou apartamento me agradaria mais?

Fazer boas escolhas pode parecer difícil.

 

A ideia de tomar uma decisão pode criar um clima de ansiedade. No entanto a vida é feita de escolhas em permanência.

 

Todos os dias fazemos escolhas. Algumas obviamente mais importantes que outras e mais decisivas. Mas as pequenas escolhas de hoje, podem ter um forte impacto a longo prazo.

 

É então necessário considerar as escolhas como um todo, como um conjunto, quaisquer que sejam a sua importância ou relevância.

 

Aprender a fazer boas escolhas no quotidiano é vital, permite-nos avançar na vida sem dependermos dos outros.

 

Infelizmente, o medo de nos enganarmos, de falharmos, de não tomar boas decisões ou até de nos arrependermos, pode impedir-nos de fazer escolhas.


Como saber então qual a melhor escolha a fazer? Como saber qual a melhor decisão a tomar?

 

Para responderes a estas questões podes utilizar os dois métodos seguintes:

 

A abordagem racional

 

 

 

Podes adotar uma abordagem racional fazendo:

 

– Pesando os prós e os contras

– Analisando as consequências da tomada de decisão

– Interrogando-te acerca das razões profundas da tua escolha

 

Este método apresenta as seguintes vantagens para se conseguirem fazer boas escolhas:

 

Tempo de reflexão. A escolha final será baseada em elementos tangíveis.

Esta forma pode ser-te conveniente, sobretudo se fores uma pessoa mais racional do que intuitiva.

 

No entanto o “racional” em demasia também tem os seus inconvenientes. É impossível prever o futuro e as suposições serão forçosamente aleatórias.

Para além disso com uma reflexão demasiado ”forçada”, arriscamo-nos a adiar a decisão “ad eternum”.

Quando esperamos até analisar todos os ângulos, arriscamo-nos a permanecer numa espécie de limbo da “não escolha”.

 

Hoje tenho a certeza de algo, as decisões tomam-se rapidamente!

 

E quando o teu coração te sopra algo diferente?

 

 

A abordagem intuitiva

 

 

Uma outra abordagem para tomar boas decisões, consiste em fazer confiança naquilo que sentimos, a apelar às nossas emoções.

 

Esta abordagem para fazer escolhas tem a vantagem de estar centrada exclusivamente em nós próprios. Podemos tomar uma decisão apenas em função de fatores internos.

 

Esta é sem dúvida aquela que mais utilizo.

 

Mas…decidindo apenas em função do que sentimos, pode ser por vezes algo frágil e extremamente subjetivo.

 

 

Então qual seria a receita para se fazer uma boa escolha?

 

Em primeiro lugar, penso que não existe nenhum método ideal para se tomarem boas decisões e iniciarmos algo novo.

 

Penso no entanto, que, para abordar a questão das escolhas, devemos sim abandonar 2 formas de pensar:

 

 

  • Fugir do perfecionismo:

 

Não existem escolhas perfeitas. A única coisa que podes fazer, é agir tendo refletido e “escutando” aquilo que sentes.

 

Agindo, testas as soluções!

 

E sim…tens o direito de te enganares.

 

Aliás…não te enganaste…agiste

 

Ao menos saberás que tentaste e não ficaste no “limbo” 🙂

 

Fizeste algo!

 

Depois fazes o balanço. Podes assim saber se a tua escolha foi acertada ou não. Podes analisar as circunstâncias que te levaram ao resultado obtido. E podes recomeçar, mudando as circunstâncias, tomando outro rumo.

 

 

  • Desdramatiza

 

A maior parte das escolhas ou tomadas de decisão não são irremediáveis.

Raras são as escolhas absolutamente definitivas, por isso…desdramatiza a tua tomada de decisão. Tem mais a ver com barreiras mentais e a ideia que temos das circunstâncias atuais que nos travam!


Será sempre tempo de fazer novas escolhas, de tomar novas decisões, de mudar e de melhorar.

 

Se tiveres sempre presente, que não existem escolhas perfeitas e desdramatizares a tomada de decisão, estas questões deixarão de ser um problema para ti, pois terás banido da tua mente, o medo de falhar.

 

 

Cada escolha será uma experiência de vida e a soma destas experiências, constituirá então o teu caminho de vida…em toda a sua singularidade.

 

 

Tu podes fazer hoje a tua escolha de vida!

 

 

Junta-te a este movimento de pessoas livres!

Regista-te!

Salta Fora!

Aquilo a que chamamos tradicionalmente a zona de conforto, é o conjunto de atividades, hábitos ou comportamentos que nos são familiares e que não ousamos deles sair, por medo de julgamentos externos ou do fracasso.

 

Evidentemente, a zona de conforto limita-nos, na nossa propensão a novas experiências e dá-nos uma visão obtusa do mundo que nos rodeia.

 

Sair esta famosa zona de conforto, é dar-se os meios, de não mais recear o desconhecido, de satisfazer a sede de conhecimento e como é óbvio, de nos aproximarmos da felicidade pessoal.
Hoje vou deixar-te umas dicas, para que o consigas fazer progressivamente.

 

 

1 – Mudanças progressivas com riscos limitados.

 

 

Sejamos realistas, não é possível colocarmos em questão, todos os nossos valores, formas de pensar ou opiniões de uma forma abrupta.
Afinal, são eles que estão na base do nosso desenvolvimento e que influenciaram a construção da nossa personalidade ao longo dos anos.

 

Sair da zona de conforto não significa negar quem és, aquilo que pensas ou que gostas: significa sim, dar-se os meios de fazer novas experiências, sem se fiar aos preconceitos que ecoam.
De uma forma quotidiana, é então possível desenvolveres a tua curiosidade e enriqueceres o teu saber, sem no entanto entrares em conflito com a tua forma de pensar.

 

Começa por coisas simples, que poderás efetuar ao abrigo dos olhares, a fim de tomares consciência de que saíres da tua zona de conforto é uma “démarche” que deve partir de dentro de ti, antes de te interessares aos seus prováveis efeitos sobre o meio que te rodeia.

 

Ouve música que não tem nada a ver contigo:

O facto de ouvires hard rock se és um fã de música clássica não representa nenhuma infidelidade para com os teus valores.

 

Todos os dias, experimenta ouvir novas músicas, novas bandas, novos artistas, sem te perguntares de antemão se te identificas com aquele estilo de música. Pessoalmente uso uma técnica muito eficaz.

 

Experimenta sites como: Deezer, Spotify ou Groove Shark (ou outros que te permitam ouvires musica gratuitamente) e coloca na barra de pesquisa a primeira palavra que te vier à mente.

 

Apenas terás de começar uma escuta atenta das músicas que aparecem na página de resultados.

 

Não gostas de uma música? Passa à próxima até te aparecer uma “pérola”.

 

Todos os dias descubro música dos mais variados géneros que nunca pensei que fosse possível gostar.

 
Esta manobra, por mais simples que seja, traz uma certa satisfação e prepara o terreno por forma a começares a habituar-te a saíres da tua zona de conforto.

 

Novas experiências culinárias:

 

Diz não às batatas fritas ou aos ovos estrelados que comes de dois em dois dias!
Chegou a hora de descobrir novos sabores e de colocar um pouco de audácia na tua cozinha.
Experimenta alimentação internacional!

 

Nada mais simples do que procurares sites que te propõem receitas que diferem bastante daquilo que estás habituado a comer. Cozinha e convida amigos, para tornares este momento mais agradável.

 

Podes até planear uma jornada “especial descobertas”, a fim de expandires os teus horizontes, e claro as tuas papilas gustativas, hehe.

 

Uma outra forma de saíres da tua zona de conforto através da culinária é pesquisares receitas com alimentos que sempre achaste que não gostavas, ou que não te diziam nada.

 

Comi no fim-de-semana que passou o melhor gratinado de couve de flor da minha vida, e acreditem que é daqueles legumes que achava completamente sensaborão.

 

Uma experiência que recomendo vivamente!

 

Estas mudanças de hábitos podem parecer mínimas e até mesmo inúteis.

No entanto, não é senão alterando a tua perceção daquilo que aprecias, alargando os teus conhecimentos e experiências, até nas áreas menos significativas, que conseguirás apreender mais facilmente a importância de desafiar as tuas barreiras psicológicas e a abrires-te ao desconhecido.

 

 

2- Sai da tua zona de conforto e afirma-te aos olhos do mundo

 

 

Uma vez que tenhas realizado, que a mudança em si não é negativa, poderás começar a assumir mais facilmente os olhares alheios e a reforçar a tua autoconfiança. Poderás então começar a sentir-te até muito mais social do que antes.

 

A interação é sempre portadora de dúvida e medo, pois achamos (com razão) que o nosso comportamento é avaliado segundo as normas definidas pelo nosso ambiente.
Estando isto estabelecido, nada te impede de te chegares à frente e te assumires como uma pessoa capaz de iniciar contacto com aqueles que te rodeiam, mesmo que não os conheças.

 

Para saíres da tua zona de conforto e ao mesmo tempo multiplicares encontros e reforçar a tua “aura” junto de membros do teu meio, basta que reveles um pouco mais to que estás habituado a fazê-lo.
Como já te tinha falado neste artigo sobre “os olhares dos outros”, deves libertar-te dos julgamentos externos, está na hora de colocares a teoria deste artigo em prática.
Começa simplesmente por afixares em ti um enorme sorriso e de cumprimentares de forma genuína todos aqueles que se cruzam contigo.
Desta forma demonstras segurança e irás emanar a impressão de corresponderes às expectativas relacionais que predominam no teu meio.
Posto isto, tenta simplesmente tomar uma parte mais importante aquando das conversas entre colegas e amigos, podes até iniciá-las, partilhando as experiências efetuadas graças aos processos da primeira parte descrita neste artigo.

 

 

Nunca duvides do facto das pessoas querem conhecer a tua opinião.

Traz muito mais do que um longo silêncio e tem no mínimo o mesmo valor da opinião de qualquer outro indivíduo.

 

 

Apenas o teu receio te leva a pensar que as tuas opiniões não têm interesse ou importância.

 

 

3- Sai da tua zona de conforto assumindo as tuas ambições.

 

O sucesso pessoal causa receio.

 

Parece inacessível, longínquo e fruto mais da sorte do que vontade.

 

Esta reflexão é típica de alguém que só pensa em segurança e que está completamente “enfiado” na sua zona de conforto. Recusando quaisquer ideia que impliquem riscos.
O risco é no entanto um dos maiores fatores de estímulo pessoal. É este que nos dá uma enorme satisfação quando ultrapassado.

 

É o motor, o pilar de todo o sucesso. Um projeto apenas se transforma em sucesso quando confrontado com a sua realidade material, quando é lançado no terreno e quando se ergue face às dificuldades. Eu gosto mais de lhes chamar obstáculos.

 

Sair da tua zona de conforto é arriscares!

 

Tens vontade de mudar de vida? De mudar de atividade? De criares valor acrescentado pelas tuas próprias mãos? Porque hesitas?

 

Este é o momento…o TEU MOMENTO!

 

Lança-te!

 

Sê ambicioso(a), dá início!

 

A realização pessoal é a melhor ferramenta para saíres da tua zona de conforto.

 

Falo-te com conhecimento de causa…

15 Meses atrás estava desempregado, depois do meu negócio ter ido á falência…

Sabia que se ganhavam milhares de dólares diariamente na Internet…
Mas achava que não era para mim…achava que não deveria conseguir…

 

Até que ousei sair da minha zona de conforto.

 

E foi a melhor decisão que tomei na vida.

Hoje trabalho para mim, trabalho em casa, faço estes artigos para ti e nunca ganhei tanto dinheiro na minha vida!

Tu também podes, tu também podes ser livre!

 

Basta fazeres o teu registo aqui por $25 dólares e começares com eu comecei. A grande diferença será que eu te vou acompanhar passo a passo e ensinar-te tudo o que sei para ter estes resultados.

 

A zona de conforto, é aquela pequena voz na tua cabeça, que te diz « Não, não faças isto »; « Isto não é para ti »; « Tu não és capaz »; « não arrisques », etc…

 

Mas na realidade, é apenas uma limitação pessoal absurda que nos impede de nos desenvolver e que devemos absolutamente combater se quisermos viver a nossa vida em pleno!

 

Sabes agora o que tens a fazer!


Salta Fora!

 

REGISTA-TE AQUI

Foi Só Um Pesadelo

Ontem enquanto estava de conversa com uns amigos, apercebi-me de algo terrível, que me deu pesadelos durante toda a noite!

Apercebi-me que há apenas 15 meses eu pensava como todas as pessoas pensam!

E em que é que isto é assustador pensas tu? Bem eu digo-te…

Eu pensava que ia ganhar entre 800 e 1200 euros por mês para o resto da minha vida,

Que iria de ter que trabalhar 8 a 12 horas por dia para o resto da minha vida,

Que iria ter que trabalhar um ano inteiro para poder ir uns dias de férias por ano…PARA O RESTO DA MINHA VIDA!

Á e claro…se por acaso aparecesse uma despesa extra, tal como um novo par de óculos ou um aparelho dentário para um dos meus filhos…bem…as férias ficariam para o ano seguinte.

Eu vou dizer-te honestamente…pensar nisto ARREPIA-ME!


Hoje tenho dias de ganhar aquilo que demoraria 8 meses a ganhar no meu ultimo trabalho!

Consegues imaginar? Ganhares num dia apenas aquilo que te levaria hoje 8 meses a fazê-lo!

Consegues sequer imaginar a tranquilidade que isso te traria?

Então deixa-me dizer-te algo:

Se o teu porquê, se o teu motivo pelo qual queres mudar de vida, sejam os teus filhos ou sejas tu próprio(a)…se essa razão for mais forte do que qualquer desculpa que possas dar…TU VAIS CONSEGUIR!

E eu e outras centenas de pessoas vamos estar cá para te levar literalmente ao colo nesta jornada!

Por isso REGISTA-TE AGORA MESMO, e assim que o faças contacta-me no skype: oliviercorreia1

Forte Abraço!