De Que Te Queixas?

Concordam comigo?

A mim parece-me senso comum!

Vamos a exemplos:

Exemplo 1

– Dói-me a cabeça.

– Eu costumo tomar este comprimido, passa-me em 20 minutos, toma um.

– À…não me apetece.

– Então não te queixes mais!

 

Exemplo 2

– Gostava tanto de deixar de fumar mas não consigo.

– Eu deixei há 5 meses com cigarros eletrónicos, se fores a este sitio explicam-te tudo.

– À…isso pode não resultar comigo.

– Então não te queixes mais!

 

Exemplo 3

– Estou tão farto deste meu trabalho. Tantas horas para ganhar 800€ por mês…

– Eu estava como tu há 15 meses atrás. Hoje com este sistema ganho muito dinheiro em casa, e sou eu que faço o meu horário. Eu posso ajudar-te, regista-te aqui que vamos começar.

– À…tenho receio que isso não dê em nada.

– Então “continua teso” e não te queixes!

PERDE-SE COMPLETAMENTE O DIREITO AOS QUEIXUMES!

Então se eu não estou bem como estou e alguém me diz que me resolve o problema apresentando-me uma solução, eu não a uso?

Seria um disparate não o fazer certo?

Então tu que recebes os meus emails, porque te inscreveste numa publicação acerca de uma forma de melhorar a tua vida e eu te apresento
a solução, não a usas porquê???

E se não os recebes os meus emails devias recebê-los (clica aqui para os receberes).

Sê proativo! Mete ação hoje! e começa a mudar a tua vida.

REGISTA-TE AQUI

Até Já 😉

Olivier Correia

Agenda O Teu Sonho!

A maioria das pessoas que têm um sonho, não avançam simplesmente por acharem que não vão ser capazes de o realizar, porque não têm competências para o atingir ou simplesmente porque acham que “concretizar os sonhos” não é para elas.

 

Eu digo que quando temos um sonho devemos persegui-lo de uma forma muito simples:

 

Devemos visualizar o processo de o atingir e agendar tudo aquilo que temos que fazer para o concretizar.

 

Podemos fazer uma lista daquilo que precisamos para lá chegar, por exemplo:
1 – Competências nesta ou naquela área.

2- Tempo

3 – Dinheiro

4 – Influência

5 – Mentores

Etc…

Depois desta lista feita, a única coisa que temos realmente que fazer, é assumirmos o compromisso de todos os dias fazer 3 ações que nos vão ajudar a colmatar algo que necessitemos e que esteja nessa lista.

Fiz de propósito para ti um vídeo sobre o assunto, espero que gostes:

 

Persegue o teu sonho!

 

Mete ação naquilo que realmente interessa…Hoje!

 

 

6 Etapas Para Obteres Tudo Aquilo que Queres na Vida 5/6

Vimos nas etapas precedentes, como ter motivação para se obter aquilo que se quer da vida.

Começa por ter que se criar um sentimento de urgência para mudar, associando prazer ao novo comportamento.

Temos depois que romper com padrões que nos bloqueiam e substitui-los por novos padrões positivos. Pode ainda ser útil ter o apoio e buscar visão em mentores que seguiram o mesmo caminho.


Vamos então agora ver como fazer durar a mudança.

 

Imprimir o caminho
Já alguma vez viste um caminho de javalis no mato?

O caminho no mato serrado forma-se pela força da passagem frequente dos animais, formando uma autêntica estrada de passagem entre dois pontos que pareciam completamente bloqueados.

O mesmo se passa com o cérebro. É o que acontece com a linguagem. Os bebés nascem com conexões entre os neurónios, que lhes permite compreenderem sons bem mais variados do que aqueles que compreendemos quando somos adultos. O facto de ouvirem o som dos seus pais a falarem, cria conexões no cérebro ou impede algumas de desaparecerem.

Quando somos adultos, por falta de estímulo de algumas conexões, deixamos de ser capazes de interpretar algumas “nuances”. Por exemplo, algumas tribos índias, pronunciam variantes da vogal “A” que nos parem idênticos.

Para dar origem a novas conexões é necessário…

 

Repetir, repetir e continuar a repetir
Os desportistas de competição fazem-no: Repetem vezes sem conta o processo de visualização dos seus próprios gestos no desporto.

É como aprender a andar, a andar de bicicleta ou a escrever. São necessárias quedas e erros, mas é a repetição da ação que a vai automatizar.

De um ponto de vista neurológico a repetição grava novos caminhos ou conexões no nosso cérebro: Estas novas conexões formam-se e transformam-se num comportamento subconsciente.

 

Emoções


Poderemos mais facilmente cimentar um novo comportamento se lhe associarmos emoções fortes.

Por exemplo: Será mais fácil reter algo se lhe associarmos uma emoção forte. Mais facilmente nos tornaremos um bom pianista se ao treino associarmos prazer.

Imaginação ou realidade?

 

O cérebro não faz a distinção entre a imaginação e a realidade.

Se pensares numa situação imaginária – mas provável – acrescentando-lhe a força de detalhes sonoros, visuais e até olfativos, o teu cérebro terá dificuldade em perceber a diferença entre o que é real e o que não é.

 

Cada individuo desenvolve estratégias para diferenciar o real do imaginário. Podem ser muito diversas.

Por exemplo, se tens por hábito comer gelados, mas ontem não o fizeste, será fácil persuadires-te que ontem comeste um.

Bastará determinar os elementos que fazem com que saibas que algo se passou realmente (como teres comido feijões). Se por exemplo comeste feijões ontem, talvez ouças na tua mente que o fizeste, ou que é verdade.

Bastará então aplicares o mesmo tipo de estratégia ao gelado.

Mas o que nos interessa realmente é saber que é possível criar novas conexões neurológicas através do pensamento. Assim sendo não fica reservado apenas a gestos ou a ações físicas.

 

 

Estar plenamente associado

 

Tomemos o exemplo de alguém que quer ficar rico. Essa pessoa deverá imaginar-se já sendo rico. Deve estar plenamente associado a essa situação imaginária na sua mente – situação que, para o cérebro é real!

Esta pessoa deverá não apenas imaginar-se como rico, mas sim sentir-se como tal no seu íntimo. Deve ainda acrescentar cores, sons e odores e aproximar-se ao máximo da realidade.

 

A lei do reforço positivo

Nos artigos precedentes desta série dissemos que, o prazer deve ser associado a um novo comportamento e que deve também ser associado ao caminho que leva.

 


Uma viagem de 1000 quilómetros começa por um pequeno passo.

 

 

É preciso fazer com que este caminho não se transforme em rotina. Cada passo deve ser reforçado com prazer. Desde o início.

Os domadores de animais, dão regularmente recompensas aos seus “alunos”. O nosso cérebro é igual, adora recompensas.

Assim que dás um primeiro passo no bom sentido, oferece-te uma recompensa. Mas atenção! Se estiveres a deixar de fumar, a recompensa não pode ser um cigarro! Pode ser até um sorriso, uma música, um chocolate, felicita-te! 

Tal como um animal que está a ser domado, estarás desejoso de fazer um novo esforço para obteres a tua recompensa.

 

Imprevisto

 

É preciso ter atenção para não sistematizar a recompensa. É necessário surpreender-se. Se cada pequeno esforço estiver associado a uma pequena recompensa, apenas farás o que tens que fazer pela recompensa em si.

Confessa lá que não estás sempre desejoso de receberes o teu salário todos os meses?
A agora pensa lá se não fazes o mínimo dos mínimos para o obteres?

 

Com a instalação de um novo comportamento é igual. Recompensas previsíveis são a melhor forma de cair na rotina e de desmotivar (como a maioria dos assalariados).

Convém então nem sempre oferecer-se a recompensa e ainda assim por vezes oferecer-se uma recompensa excecional.

Tudo isto a fim de haver uma motivação crescente e seguir o bom caminho.

 

Um reforço positivo

Quase que me esquecia,…falei de recompensa. Não de punição. Lamentar-se porque não se atingiram os objetivos não é nada bom. Continuarás algo que apenas te trás lamúrias? Não me parece.

Mesmo se não atinges os objetivos recompensa-te. Felicita-te por teres atingido 70% ou 30% dos teus objetivos.

Os reforços (recompensas) devem ser positivos, nunca negativos. 

 

Conclusão

Vimos que podemos colocar em prática novos comportamentos interrompendo antigos padrões, substituindo-os por novos, que sejam motivadores e de acordo com os nossos valores. Mas vamos cimentar esses novos comportamentos graças à repetição e a um reforço positivo.
Aplica estes princípios na tua vida e verás como ela vai mudar. 🙂

 

Relê:

 

Forte Abraço!