Os 3 Tipos de Vidas que Podes Levar

Acredito que existam 3 tipos de vidas no espectro da vida. Dependendo em qual delas nos situamos vamos determinar com isso a nossa qualidade de vida.

A chave é sabermos honestamente onde nos encontramos e tomar a decisão honesta de mudarmos.


 

1º Tipo de Vida

A Vida Armadilhada

As pessoas encontram-se presas às suas circunstâncias e nas expectativas dos outros.

“Agarrados” aos seus sistemas de crenças limitativas, acham que nunca se vão libertar.

A maioria de nós já passou e outros ainda estão presos nesta vida.

É como quando se mete um leão selvagem no jardim zoológico. O leão passa algum tempo a lutar para sair da sua jaula e com o tempo e a frustração acaba por se conformar.

As pessoas não são diferentes. Torna-se fácil identificar aqueles que estão presos nesta vida, todos usam um padrão de comunicação recorrente, apontam constantemente o mundo como a culpa principal dos seus destinos, o mal está sempre nos outros e acham-se incompreendidos.

Acreditam que as suas circunstâncias são as piores de todas e operam a partir de um alto nível do ego.

Só há duas coisas que podem fazer com que alguém se desprenda deste tipo de vida:

A) Um fator externo que apareça nesta vida, como uma nova relação com alguém que vai influenciar a decisão de mudar, ganhar dinheiro do nada, como a lotaria, uma herança, etc… Só este tipo de acontecimentos externos podem transformar esta vida.

B) Um fator interno. Algo muda dentro da pessoa. Uma tomada de consciência que a leva a querer mudar e a tomar a decisão de colocar ação.

2º Tipo de Vida

A Vida Confortável

Este tipo de vida é caracterizado pelo conforto material. O dinheiro já não é problema, pagam-se as dividas e todas as contas. É a típica “vida de dois lugares de garagem”.

Ganharam-se competências novas que postas a uso garante o equilíbrio familiar e financeiro.

…no entanto…algumas pessoas aqui começam a querer algo mais….

3º Tipo de Vida

A Vida Poderosa

Esta vida, caracterizada por um elevado estado de energia e paixão, é vivida em constante desafio e causas maiores.
É a vida em que o ser humano se começa a preocupar com o Humanitarismo e a ação social.

Esta vida já não é guiada pelo materialismo e o conforto, mas sim por uma constante busca do alargamento da nossa própria zona de conforto.

Crescer a servir é o lema desta vida.

É um pouco aquilo que fazem os Lazy Millionaires, estes empreendedores sociais que têm por lema: “Desfrutar a Vida e Fazer a Diferença”

Mais sobre os Lazy Millionaires aqui: http://oliviercorreia.com/c/?p=f1lcpt

Forte Abraço para ti!

6 Etapas Para Obteres Tudo Aquilo que Queres na Vida 5/6

Vimos nas etapas precedentes, como ter motivação para se obter aquilo que se quer da vida.

Começa por ter que se criar um sentimento de urgência para mudar, associando prazer ao novo comportamento.

Temos depois que romper com padrões que nos bloqueiam e substitui-los por novos padrões positivos. Pode ainda ser útil ter o apoio e buscar visão em mentores que seguiram o mesmo caminho.


Vamos então agora ver como fazer durar a mudança.

 

Imprimir o caminho
Já alguma vez viste um caminho de javalis no mato?

O caminho no mato serrado forma-se pela força da passagem frequente dos animais, formando uma autêntica estrada de passagem entre dois pontos que pareciam completamente bloqueados.

O mesmo se passa com o cérebro. É o que acontece com a linguagem. Os bebés nascem com conexões entre os neurónios, que lhes permite compreenderem sons bem mais variados do que aqueles que compreendemos quando somos adultos. O facto de ouvirem o som dos seus pais a falarem, cria conexões no cérebro ou impede algumas de desaparecerem.

Quando somos adultos, por falta de estímulo de algumas conexões, deixamos de ser capazes de interpretar algumas “nuances”. Por exemplo, algumas tribos índias, pronunciam variantes da vogal “A” que nos parem idênticos.

Para dar origem a novas conexões é necessário…

 

Repetir, repetir e continuar a repetir
Os desportistas de competição fazem-no: Repetem vezes sem conta o processo de visualização dos seus próprios gestos no desporto.

É como aprender a andar, a andar de bicicleta ou a escrever. São necessárias quedas e erros, mas é a repetição da ação que a vai automatizar.

De um ponto de vista neurológico a repetição grava novos caminhos ou conexões no nosso cérebro: Estas novas conexões formam-se e transformam-se num comportamento subconsciente.

 

Emoções


Poderemos mais facilmente cimentar um novo comportamento se lhe associarmos emoções fortes.

Por exemplo: Será mais fácil reter algo se lhe associarmos uma emoção forte. Mais facilmente nos tornaremos um bom pianista se ao treino associarmos prazer.

Imaginação ou realidade?

 

O cérebro não faz a distinção entre a imaginação e a realidade.

Se pensares numa situação imaginária – mas provável – acrescentando-lhe a força de detalhes sonoros, visuais e até olfativos, o teu cérebro terá dificuldade em perceber a diferença entre o que é real e o que não é.

 

Cada individuo desenvolve estratégias para diferenciar o real do imaginário. Podem ser muito diversas.

Por exemplo, se tens por hábito comer gelados, mas ontem não o fizeste, será fácil persuadires-te que ontem comeste um.

Bastará determinar os elementos que fazem com que saibas que algo se passou realmente (como teres comido feijões). Se por exemplo comeste feijões ontem, talvez ouças na tua mente que o fizeste, ou que é verdade.

Bastará então aplicares o mesmo tipo de estratégia ao gelado.

Mas o que nos interessa realmente é saber que é possível criar novas conexões neurológicas através do pensamento. Assim sendo não fica reservado apenas a gestos ou a ações físicas.

 

 

Estar plenamente associado

 

Tomemos o exemplo de alguém que quer ficar rico. Essa pessoa deverá imaginar-se já sendo rico. Deve estar plenamente associado a essa situação imaginária na sua mente – situação que, para o cérebro é real!

Esta pessoa deverá não apenas imaginar-se como rico, mas sim sentir-se como tal no seu íntimo. Deve ainda acrescentar cores, sons e odores e aproximar-se ao máximo da realidade.

 

A lei do reforço positivo

Nos artigos precedentes desta série dissemos que, o prazer deve ser associado a um novo comportamento e que deve também ser associado ao caminho que leva.

 


Uma viagem de 1000 quilómetros começa por um pequeno passo.

 

 

É preciso fazer com que este caminho não se transforme em rotina. Cada passo deve ser reforçado com prazer. Desde o início.

Os domadores de animais, dão regularmente recompensas aos seus “alunos”. O nosso cérebro é igual, adora recompensas.

Assim que dás um primeiro passo no bom sentido, oferece-te uma recompensa. Mas atenção! Se estiveres a deixar de fumar, a recompensa não pode ser um cigarro! Pode ser até um sorriso, uma música, um chocolate, felicita-te! 

Tal como um animal que está a ser domado, estarás desejoso de fazer um novo esforço para obteres a tua recompensa.

 

Imprevisto

 

É preciso ter atenção para não sistematizar a recompensa. É necessário surpreender-se. Se cada pequeno esforço estiver associado a uma pequena recompensa, apenas farás o que tens que fazer pela recompensa em si.

Confessa lá que não estás sempre desejoso de receberes o teu salário todos os meses?
A agora pensa lá se não fazes o mínimo dos mínimos para o obteres?

 

Com a instalação de um novo comportamento é igual. Recompensas previsíveis são a melhor forma de cair na rotina e de desmotivar (como a maioria dos assalariados).

Convém então nem sempre oferecer-se a recompensa e ainda assim por vezes oferecer-se uma recompensa excecional.

Tudo isto a fim de haver uma motivação crescente e seguir o bom caminho.

 

Um reforço positivo

Quase que me esquecia,…falei de recompensa. Não de punição. Lamentar-se porque não se atingiram os objetivos não é nada bom. Continuarás algo que apenas te trás lamúrias? Não me parece.

Mesmo se não atinges os objetivos recompensa-te. Felicita-te por teres atingido 70% ou 30% dos teus objetivos.

Os reforços (recompensas) devem ser positivos, nunca negativos. 

 

Conclusão

Vimos que podemos colocar em prática novos comportamentos interrompendo antigos padrões, substituindo-os por novos, que sejam motivadores e de acordo com os nossos valores. Mas vamos cimentar esses novos comportamentos graças à repetição e a um reforço positivo.
Aplica estes princípios na tua vida e verás como ela vai mudar. 🙂

 

Relê:

 

Forte Abraço!

6 Etapas Para Obteres Tudo Aquilo que Queres na Vida 2/6

No primeiro artigo desta série, vimos que a maioria das pessoas sabem aquilo que não querem na vida, mas que não sabem como obter aquilo que querem.
Vimos igualmente que alguns querem de facto mudar, mas não sabem sequer por onde começar. Neste artigo vamos ver como meter esta ação em movimento.


 

Não é uma questão de capacidade
Mudar não é tanto uma questão de capacidade. Tem mais a ver com motivação. Sabemos todos, que devemos comer com menos gordura, com menos açúcar, fazer mais desporto. Todos sabem disso.

Mas quantos passam á ação!

 

O clique é a motivação!

Então, como achar a motivação para mudar?

 

Em primeiro lugar não se pode dizer “deveria fazer isto…” mas sim “vou fazer…”

 

Criar um sentimento de urgência

 

É preciso começar por criar um sentimento de urgência. Urgência para mudar.


Porquê?
Porque o preço a pagar por ficar no mesmo sítio é demasiado alto!

 

Ultrapassa o teu nível de dor aceitável

Não irás mudar enquanto não ultrapassares o teu nível de dor aceitável.

A situação presente tem que estar a causar dor! Uma dor tão grande que não te dá outra escolha senão mudares!

 Coloca-te as seguintes questões:

  • O que me custa fisicamente, emocionalmente e espiritualmente não mudar?
  • O que estou eu a perder não mudando?
  • Como seria a minha vida se eu mudasse?
  • Sinto-me verdadeiramente satisfeito com a minha vida?
  • Sinto-me satisfeito por não mudar?

 

Já experimentaste e não conseguiste?

Isso só significa que a dor não era suficiente!


 

A dor deve ser interior

Mesmo que algumas pessoas sejam mais sensíveis àquilo que os outros dizem, aos seus julgamentos, esta urgência deve vir do interior.

Mas como fazer?

A única coisa que te vai causar dor por não mudares, é constatares que não estás a ser congruente com os teus valores. Se os teus valores não estiverem a ser respeitados, não será suportável, terás aqui uma chance de estares motivado para mudares.

Assim, se queres mudar, coloca as questões que deves colocar, por forma a fazeres sobressair as tuas próprias inconsistências em termos de valores.

Complicado?

Vou dar-te um exemplo para perceberes melhor, o meu exemplo:

Antes de iniciar a minha atividade na Internet, o negócio que tenho hoje, que me trouxe a liberdade que tenho hoje em todos os aspetos, não tinha dinheiro nem para encher o frigorífico.

Chegava a dia 15 de cada mês sem um tostão no bolso, os meus filhos nem um iogurte para comer tinham!

Os meus valores como pai e chefe de família eram completamente inconsistentes, poi eu acredito que devo dar aos meus filhos tudo o que precisam. A dor era grande. E isso motivou-me à mudança!

 

Ter prazer em mudar

 

Os teus esforços serão em vão se nada colocares no lugar da dor.

Tens absolutamente que colocar na tua vida uma boa razão para mudares. Não basta afastares-te da dor ou escondê-la.

Se vais passar de A a B, mais vale associares uma grande dor a ficares em “A” e um grande prazer a ir para “B”.
 

Conclusão

A primeira etapa era então identificar aquilo que se quer. A segunda consiste em usar uma “alavanca” como motivação:

  • Uma grande dor não mudando; a dor de não estares alinhado com os teus valores.
  • Um prazer grande associado á mudança ou à realização dessa mudança.

 

Volta a ler a etapa 1 para obteres aquilo que queres na vida.

Não percas o próximo artigo desta série J

Forte Abraço!

 

Os Segredos da Autoconfiança em 5 Etapas 3/5

Nos últimos dois artigos desta série de 5 (que podes ver AQUI) falei-te de tomada de decisão e responsabilidade e visão e motivação


Hoje vou falar-te sobre pequenos passos para atingires grandes mudanças.

Este é então o terceiro artigo desta série de 5 e tem por título:

3- Gandhi & Pequenos Passos para Grandes Mudanças




Agora que já decidiste mudar a situação e que sabes porque o queres fazer, só te resta passar á ação!

De facto, apenas a passagem á ação de vai trazer resultados!

Atenção, não deves aqui fixar objetivos irreais nem demasiado elevados, estamos a falar das ações diárias. Pensa grande sim! Mas começa com pequenos passos. O importante agora é seres consistente e perseverar.


“Sê a mudança que queres ver no mundo”
– Gandhi

 

 

 

Todos os dias faz algo novo, algo diferente que te faça sair da tua zona e conforto.


Mais uma vez, faz com que estes pequenos desafios sejam exequíveis. Com a repetição diária, esta nova ação vai ser cada vez mais fácil. É assim que vais alargar a tua zona de conforto!


Recomeça uma nova ação que te faça sair da tua zona de conforto, até que essa ação fique fácil de fazer.



“Pouco importa a velocidade a que avanças, desde que nunca pares.”
– Confúcio

 

Não percas o próximo artigo desta série: 4- Buda & a Vida em Consciência.

Forte abraço!

Sequestro Emocional

Ainda consigo ficar admirado e perplexo, quando me deparo com situações que a meu ver são completamente surreais.

Quando duas pessoas que supostamente vivem uma relação intima, de casal, de confiança de respeito mútuo e de apoio incondicional, é suposto haver empatia certo?

Ainda consigo ficar admirado e perplexo, quando me deparo com situações que a meu ver são completamente surreais.

Quando duas pessoas que supostamente vivem uma relação intima, de casal, de confiança de respeito mútuo e de apoio incondicional, é suposto haver empatia certo?

É suposto um lado tentar colocar-se “na pele” do outro quando toca a tomadas de decisão.
 

Aquilo que tenho visto é que cada vez mais as pessoas não vivem uma relação…são apenas reféns da outra parte e vivem um sequestro consentido. 

Hoje testemunhei dois casos.

Num deles um senhor exemplar, educado, instruído, com uma “garra de vencer” incrível. Com cerca de 60 anos tomou uma decisão para a sua vida, uma decisão que lhe poderia trazer a curto prazo grandes benefícios materiais, financeiros e até emocionais. Hoje vim a saber que desistiu do seu sonho, porque a esposa não gosta, ou não acredita na visão que ele teve, que lhes iria permitir serem completamente livres e finalmente desfrutarem a vida. (Sim porque a concretização do sonho dele era precisamente a felicidade dos dois).

Não estamos a falar de um homem abordar a sua esposa e dizer-lhe:

– Amor, hoje converti-me ao Islamismo e vou casar com mais duas mulheres…mas não te preocupes que serás sempre a principal!

Estamos a falar de uma tomada de decisão que apenas implica trabalho e dedicação da parte da pessoa que a tomou..

O outro caso foi ao contrário, uma jovem professora, que decidiu perseguir o seu sonho, que decidiu fazer a tal “milha extra” que os outro não querem fazer para serem felizes, acabou por desistir porque:

– O meu marido não gosta….

Ok, sei bem que na Arábia saudita as mulheres não podem sair de casa sem serem acompanhadas pelo marido ou pelo pai, que não têm direito a votar, que não se podem sentar à mesa com os homens para comer, não podem guiar um carro…

…mas acho que isto se passa no Seixal…ou em Aveiro…já nem sei…

Enfim…quero deixar uma mensagem de senso comum a todos aqueles e aquelas que foram emocionalmente sequestrados:
NINGUÉM PRECISA DA AUTORIZAÇÃO DE NINGUÉM PARA SER FELIZ!
Nem da esposa, nem do esposo, nem de Deus, ou do Universo, ou de Allah, ou de qualquer poder superior com o qual te identifiques!

Essa autorização foi-te oferecida quando nasceste e chama-se LIVRE ARBÍTRIO!

Faz uso dele!

 

Tornar-se influente

Ser autêntico

 

Todos nós possuímos qualidades, competências e uma história de vida que nos torna únicos. Será que utilizas a tua singularidade para influenci

Ser autêntico

 

Todos nós possuímos qualidades, competências e uma história de vida que nos torna únicos. Será que utilizas a tua singularidade para influenciar positivamente os outros? Questiona-te. Não precisas de fazer grandes coisas para te tornares influente, pequenos gestos bastam.

 

«É necessário procurar ser feliz, nem que seja para dar o exemplo.»

– Jaques Prévert

 

Como fazer para usares a tua influência de forma positiva?                                                                                                          

Sê verdadeiro e honesto, se acreditas no teu modo de vida deves assumi-lo plenamente. Simples não? É sendo tu próprio que irás começar a influenciar os outros que te rodeiam. Foi desta forma que fui influenciado na minha vida.

 

«É tempo de viveres a vida que imaginaste.»

– Henry James

 

Sê verdadeiro e passa à ação! É incrível notar-se, como a ação de uns tem um efeito de arrastar os outros. Foram pessoas que vivem constantemente em ação que me inspiraram a fazer o mesmo.

 

O meu amigo Joaquim, pelo seu trabalho árduo, os seus projetos e a sua dedicação ensinou-me o valor do trabalho. Conheço-o há muitos anos e sempre o observei, mesmo quando era preguiçoso e andava à deriva. Penso que ficou marcado em mim, pois é do seu exemplo que me lembro sempre quando tenho que passar à ação no meu trabalho e dar o litro como se costuma dizer. É graças a ele que tenho esta insaciável vontade de progredir, de ser sempre melhor e de evoluir.

 

A minha querida esposa, pela sua forma de estar e agir, a sua bondade e inteligência, ensinou-me a estar aberto para o mundo, a ser tolerante, a respeitar os outros, o amor incondicional, o perdão e muito mais.

 

O meu amigo Álvaro, esse ensinou-me a importância de uma vida espiritual, sã e ancorada na ação. Ensinou-me isto numa altura negra da minha vida, uma altura onde não estava nem aí para ouvir falar de espiritualidade

 

«Não há nada de mais contagioso que o exemplo.»

 

– François de La Rochefoucauld

 

Tornar-se influente, a conclusão.

 

São apenas alguns exemplos, poderia estar aqui a escrever até amanhã sobre aqueles que me influenciaram positivamente, mas acho que é fácil perceberes a mensagem que te quero passar.
Estas pessoas ensinaram-me muita coisa importante, fizeram-no sem me ensinar nada, apenas porque foram elas mesmo, porque foram genuínas, vivendo o seu melhor.

Nos grupos de ajuda anónimos fica assim resumido:

 

«Atração em vez da promoção»

 

Também não posso deixar de citar Gandhi, que o exprime tão bem:

«Deves ser a mudança que queres ver no mundo.»

– Gandhi

 

Sobre isto já nada tenho a acrescentar.

Aliás, deixo-te aqui uma sugestão de leitura, que faz sentido no seguimento deste artigo.

 

Desfruta.

 

Até amanhã

 

 

3 – Vencer o medo delineando objetivos

Para ver efetivamente os riscos corridos pagos e gozar das recaídas de uma decisão pessoal e reagrupar as condições do sucesso, é obrigatoriamente necessário te

Para ver efetivamente os riscos corridos pagos e gozar das recaídas de uma decisão pessoal e reagrupar as condições do sucesso, é obrigatoriamente necessário ter um plano ou uma rota traçada.

 

O objetivo e as etapas intermediárias devem assim ser identificados antes de nos lançarmos neste caminho.

É tendo sempre estes objetivos em linha de conta, que se avança de forma concreta e que se luta contra os medos que nos assolam.

 

Assim sendo, cada feito alcançado que se inscreva nesta lógica global, por mais insignificante que pareça, reforça a autoestima, a autoconfiança e estimula a motivação pessoal.

 

É impossível mudar de vida, se nos interessarmos somente pela materialização do resultado final.

Tecnicamente isto significa que, quando por exemplo se aprende uma nova língua…não nos devemos fustigar durante todo o processo, enviando para a nossa mente a mensagem de que o sucesso apenas chegará quando formos bilingues…

Ou ainda se queremos alcançar o sucesso e a liberdade financeira, não vamos poder estar constantemente a pensar que para lá não se caminha nem se progride, enquanto não se ganhar o primeiro milhão de euros ou dólares.

Cada regra gramatical, cada novo campo léxico aprendido, cada centavo ou cada regra de cosmética financeira assimilada, representa uma vitória e uma etapa em direção ao sucesso.

A capacidade de vencer o medo, repousa então sobre a proximidade dos objetivos a curto prazo, inscrevendo-se no processo geral mais importante ou final.

Estás pronto para iniciares o teu processo?

Estás pronto para começares a rumar ao sucesso?

Regista-te agora, e obtém ajuda para o teu plano e rota serem traçados de forma eficiente.

Regista-te AQUI

O PODER DA CONVICÇÃO!

A indecisão é apenas um momento para refletir, uma passagem obrigatória…
onde o truque é dar tempo ao tempo.
Com a chama da persistência acesa e a calma

Tenho percebido ao longo da minha vida o quanto uma postura positiva diante de uma situação contribui para que tudo se torne favorável, não importa o que aconteça ”pois a sorte brilha para aqueles que acreditam nela”

 

Mas quem nunca desanimou ou sentiu suas esperanças ofuscadas?

Porém descobri um ” truque da vida” .

Nas horas em que tudo parece perdido, se acreditares que nasceste para triunfar sobre os teus desencantos.

sejam eles de quaisquer ordem..

de um jeito ou de outro uma porta se abre!!

É quando tua fé ”move montanhas”

e reage extraordinariamente a teu favor….

Aquilo que estava atravancado começa a fluir…

As tuas dúvidas vão se desvanecendo, dando lugar à certeza de que conquistarás  os teus desejos…

afinal, é o que quer o teu ser… a realização . 

Nós nascemos para concretizar os nossos sonhos!

 

O caminho parece desafiador pra quem ainda não sabe onde quer chegar,

pois quem sabe o que quer, segue sem medo e confiante, tem um ideal, e acredita no próprio talento.

 

Quando não se tem uma direção é preciso usar a bússola da razão e escutar o próprio sentimento.

Porque pensas que a solução está fora do teu alcance?

A indecisão é apenas um momento para refletir, uma passagem obrigatória…

onde o truque é dar tempo ao tempo.

Com a chama da persistência acesa  e a calma de quem acredita em algo maior

até nos impasses se acham  possibilidades…

ACREDITAR QUE VAI RESULTAR, É METADE DO SUCESSO!

Usando o poder da Tua própria convicção!